Cidade Sol é acusada de não pagar taxa em terminal com ”respaldo” de diretor da Agerba

Instalações da Cidade Sol no Terminal de Bom Despacho: empresa usa o terminal, mas não paga a taxa de embarque à administradora Sat. Dizem que a Agerba quer passar o terminal para a Internacional Marítima. Também?
Instalações da Cidade Sol no Terminal de Bom Despacho: empresa usa o terminal, mas não paga a taxa de embarque à administradora Sate. Dizem que a Agerba quer passar o terminal para a Internacional Marítima. Também?

REDAÇÃO DO JORNAL DA MÍDIA

A empresa Cidade Sol, do sistema intermunicipal de transportes e que pertence ao deputado federal Ronaldo Carletto (PP-BA), está sendo acusada de não pagar as taxas de embarque do Terminal Rodoviário de Bom Despacho, na Ilha de Itaparica.

Segundo o gerente administrativo da Sate Administradora, Carlos Alberto Azevedo, para não pagar as taxas a Cidade Sol alega ter autorização do diretor-executivo da Agerba, Eduardo Pessoa, que ”quer porque quer” transferir para a Internacional Marítima, que na Bahia atua como “Internacional Travessias”, as operações do Terminal de Bom Despacho, segundo denuncia o gerente da Sate.

“Essa é a alegação dos prepostos da Cidade Sol. Eles garantem que não pagam porque o Sr. Eduardo Pessoa não quer, que é autorização do diretor da Agerba. Mas a empresa nunca apresenta documentos que possam provar que o Sr. Pessôa autorizou”, observou o gerente da Sate, empresa que administra o Terminal de Bom Despacho. O equipamento é utilizado pelas empresas que operam linhas do transporte intermunicipal para cidades do Sul, Baixo Sul e Recôncavo da Bahia, entre elas a Cidade Sol.

Em consequência do não recebimento das taxas de embarque da Cidade Sol, a Sate está com contas e salários de seus funcionários atrasados – a empresa tem 16 colaboradores atuando no Terminal de Bom Despacho.

“A Justiça deferiu uma liminar obrigando a Cidade Sol a nos pagar. O prazo dado pelo juiz Isaías Vinícius de Castro Simões, da Comarca de Itaparica, venceu dia 21 de julho e mesmo assim a empresa diz que não vai pagar”, disse Carlos Alberto Azevedo. Estão sem pagar desde 22 de junho.

Leia também:

Fiscal denuncia e garante que a Agerba não fiscaliza e nem combate o transporte clandestino

 

 

Notícias Relacionadas

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − dois =