Prefeitura e BID definem início do Prodetur de US$ 105 mi em Salvador

 Orçado em US$ 105 milhões, o Prodetur tem por principal objetivo fomentar o turismo e a geração de emprego e renda em Salvador. (Foto: Jefferson Peixoto/Secom)
Orçado em US$ 105 milhões, o Prodetur tem por principal objetivo fomentar o turismo e a geração de emprego e renda em Salvador. (Foto: Jefferson Peixoto/Secom)

Secretários de diversas pastas da Prefeitura se reuniram com representantes do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), na tarde dessa segunda-feira (17), para participar de uma “oficina de arranque”, reunião técnica necessária para a aprovação da execução de obras e projetos do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur) de Salvador. Participaram da reunião os secretários Cláudio Tinoco (Secult), Paulo Souto (Sefaz) e Luiz Carreira (Casa Civil), além de Érico Mendonça, coordenador do Prodetur, entre outros gestores. As etapas de execução do programa foram apresentadas pela chefe de equipe de projeto do BID, Juliana Bettini.

Esse foi apenas o primeiro de um total de cinco encontros e vistorias da “missão de arranque”, nome dado ao conjunto de medidas dessa semana. Orçado em US$ 105 milhões, o Prodetur tem por principal objetivo fomentar o turismo e a geração de emprego e renda na cidade. Metade do investimento previsto para o programa vem de recursos próprios e a outra metade será financiada pelo BID. As ações que correspondem aos 50% dos recursos da Prefeitura começaram a ser realizadas ainda na primeira gestão do prefeito ACM Neto, com as requalificações de Orla nos trechos do Rio Vermelho e Itapuã / Piatã, além da implantação de novos equipamentos culturais, como a Casa do Rio Vermelho e os Espaços Pierre Verger da Fotografia Baiana e Carybé das Artes, nos Fortes Santa Maria e São Diogo, respectivamente.

Salvador é o primeiro município do país a conseguir financiamento pelo BID para o Prodetur, cuja execução total deve durar cinco anos. Além das reuniões, uma equipe do BID fará vistorias em locais contemplados pelo Prodetur, como a Avenida Sete de Setembro, que em breve será totalmente revitalizada. Estão previstas ainda a requalificação de trechos finais da Orla de Salvador, como o Barra/Ondina e Stella Maris/Praia do Flamengo/Ipitanga. “Agora é pisar no acelerador e colocar a velocidade máxima para esse programa, que terá uma influência muito grande para o objeto estratégico dessa gestão: ajudar no desenvolvimento econômico da cidade, na geração de postos de trabalho, melhorando a condição de vida daqueles que aqui moram”, observou o titular da Secult, Claudio Tinoco.

Notícias Relacionadas