Músico do Senegal Maher Cissoko ministra oficina de ritmos dia 15 em Salvador

Maher Cissoko desenvolveu  um estilo próprio, explosivo e dançante. (Foto: Divulgação)
Maher Cissoko desenvolveu um estilo próprio, explosivo e dançante. (Foto: Divulgação)

O cantor, compositor, griô e multi-instrumentista Maher Cissoko ministra, no dia 15 de julho (sábado), às 10 horas, na Caixa Cultural Salvador (Rua Caros Gomes, Centro), a Oficina de ritmos de Kora e artes de um griô Mandinka do Senegal. A atividade gratuita, que integra o Projeto Sons da África, é voltada para músicos, percussionistas e outros interessados na cultura tradicional Mandinga (Malinka) e nos seus paralelos com os ritmos afro-brasileiros. Trata-se de um reconhecimento dos elos que unem as culturas da diáspora no Brasil com as culturas africanas, neste caso da Casamance, no Senegal.

O objetivo é oferecer um encontro com um exemplo da cultura, da musicalidade e da pedagogia africana, permitindo um maior conhecimento das raízes africanas no Brasil, assim como contribuir com o desenvolvimento das capacidades criativas de cada um dos presentes. Os participantes são convidados a levar um instrumento musical e a interagir também com voz e palmas. As inscrições podem ser feitas presencialmente no dia da oficina, 30 minutos antes do início da atividade, que tem capacidade para 30 pessoas.

Nascido para ser um tocador de kora, em uma lendária família de griôs da região da Casamance, no sul do Senegal, Maher Cissoko é herdeiro de uma tradição passada há mais de 700 anos entre as gerações de sua família. O músico enriqueceu essa herança ao desenvolver um estilo próprio, explosivo e dançante. Além de tocar a kora – instrumento musical de 21 cordas, símbolo da sabedoria divina entre povos da África ocidental, Maher é multi-instrumentista. Domina a arte de diversos instrumentos de percussão da África Ocidental, tais como cabaça, djembê e tama (Talking Drum).

Notícias Relacionadas