Delegado da PF que investigava morte de Teori Zavascki é morto em Florianópolis

Dois policiais federais foram mortos a tiros em Florianópolis na madrugada desta quarta-feira (31) em uma casa noturna. Uma terceira pessoa também foi baleada. De acordo com a Polícia Federal, as vítimas trabalhavam no estado do Rio de Janeiro.

Local onde ocorreu a troca de tiros (Foto: Cristiano Estrela / Diário Catarinense/Reprodução)
Local onde ocorreu a troca de tiros
(Foto: Cristiano Estrela / Diário Catarinense/Reprodução)

O Portal G1-Santa Catarina apurou que Adriano Antonio Soares, era delegado chefe da Polícia Federal em Angra dos Reis e responsável pela investigação do acidente aéreo que causou a morte do ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF). Já Elias Escobar foi delegado em Volta Redonda por dois anos.

Os policiais estavam em uma casa noturna na rua Fúlvio Aducci, no bairro Estreito, região continental da capital catarinense. De acordo com a Polícia Federal, ocorreu um desentendimento entre frequentadores e tiroteio por volta das 2h. Os policiais federais não estavam em serviço.

Um dos policiais teria morrido no local e outro no hospital. A terceira pessoa baleada seria um dos envolvidos no desentendimento e até o início da manhã desta quarta-feira estava internada. De acordo com a Polícia Militar, por volta das 5h30, um veículo teria passado em frente a unidade de saúde atirando. Ninguém se feriu nesta segunda ocorrência.

A área do estabelecimento foi isolada. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios da Polícia Civil, com apoio da Polícia Federal. Ao menos outros dois homens estariam envolvidos na briga. Nenhum suspeito foi detido. Segundo a PF, as vítimas estavam em Florianópolis participando de um curso.

Fonte: Portal G1/Santa Catarina

Notícias Relacionadas