Delações podem levar Dilma até mesmo à prisão. Leia em Cláudio Humberto

CLÁUDIO HUMBERTO

São tão graves as acusações extraídas das delações de Mônica Moura e João Santana, divulgadas também em vídeo, que nos meios jurídicos já se aposta na prisão da ex-presidente Dilma, com o objetivo de preservar provas e barrar suas tentativas de obstruir a Lava Jato. Além de compartilhar com investigados as informações recebidas do ministro da Justiça sobre a ação da Polícia Federal, Dilma ainda recomendou a Mônica e João esconder em Cingapura o dinheiro depositado na Suíça.

Dilma e o marqueteiro João Santana:  a força-tarefa da Lava Jato quer pôr as mãos no laptop da ex-presidente  (Foto: Reprodução/Facebook)
Dilma e o marqueteiro João Santana: a força-tarefa da Lava Jato quer pôr as mãos no laptop da ex-presidente (Foto: Reprodução/Facebook)

ENQUADRAMENTO
Vazar informações obtidas em razão do cargo pode render ação penal Dilma e Cardozo, ex-ministro. Art.325 do código penal, cana de 2 anos.

ELA É REINCIDENTE
Ao avisar o casal de marqueteiros sobre os passos da Lava Jato, Dilma pode ser enquadrada em novo crime de obstrução à Justiça. O terceiro.

LAPTOP É A CHAVE
Além da prisão de Dilma, a força-tarefa da Lava Jato quer pôr as mãos no laptop da ex-presidente, onde podem ser encontradas as provas.

PROVAR SERÁ FÁCIL
Ordem judicial fará o Gmail localizar em seus servidores as mensagens que Mônica trocou com Dilma usando apenas a pasta de rascunhos. (Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais)

Notícias Relacionadas