Copa do Brasil: Flamengo joga com time misto e fico no empate com o Atlético-GO.

No jogo de volta, em Goiânia, o Flamengo precisa vencer e o Atlético-GO também.  (Foto: Flamengo/Divulgação)
No jogo de volta, em Goiânia, o Flamengo precisa vencer e o Atlético-GO também. (Foto: Flamengo/Divulgação)

A estreia do Flamengo na Copa do Brasil foi sem gols. Jogando com time misto, a equipe empatou em 0 a 0 com o Atlético-GO, na noite desta quarta-feira (10), no Maracanã. A equipe rubro-negra dominou as ações e até chutou uma bola na trave, mas não conseguiu marcar. O jogo de volta contra o Atlético-GO pelas oitavas de final da Copa do Brasil será no dia 24 de maio, quarta-feira, em Goiânia.

O próximo compromisso do Mais Querido é no mesmo estádio, em outra estreia, contra outro Atlético: o Mineiro, pelo Campeonato Brasileiro. A bola rola este sábado (13), às 16h.

O Flamengo começou a partida com total domínio, chegando a 82% de posse de bola nos 15 minutos iniciais. As duas maiores oportunidades foram em dois chutes da entrada da grande área, de Matheus Savio e Gabriel, mas nas duas chances a bola subiu – na vez do camisa 17, a redonda tirou tinta do travessão. O Atlético-GO levou perigo poucas vezes, em cobranças de escanteio. Antes do fim da primeira etapa, Paquetá cabeceou com força, de costas, e obrigou o goleiro atleticano a fazer um milagre.

No segundo tempo, o Rubro-Negro seguiu apostando na posse de bola e nas infiltrações pelas laterais. A equipe voltou para campo com Pará no lugar de Gabriel – desta forma, Renê se manteve na lateral-esquerda e Rodinei foi deslocado para o meio. E foi dele o primeiro “uh!” da etapa complementar: Rafael Vaz protegeu bem, driblou e, sob pressão, conseguiu passar para Damião, que só raspou na bola para entregar a Matheus Savio; o garoto cruzou para Rodinei – que já marcou duas vezes este ano e fechou a conta no Fla-Flu que decidiu o Carioca – carimbar a trave.

Aos 22 minutos, a torcida se manifestou cheia de alegria ao ver Ederson correndo do local de aquecimento até o meio de campo para retornar aos gramados após nove meses se recuperando de lesão. Aos 30, a última substituição de Zé Ricardo: Felipe Vizeu no lugar de Leandro Damião. A equipe seguiu dominando as ações ofensivas e sem passar aperto na defesa, mas não balançou a rede até o apito final do juiz.

Notícias Relacionadas