Brasil e mais 10 países pactuam “ampla cooperação” no caso Odebrecht

Os procuradores de 11 países nos quais operou a Odebrecht decidiram nesta quinta-feira (16), em Brasília, estabelecer “a mais ampla, rápida e eficaz cooperação” em torno do caso de corrupção da construtora brasileira.

A Odebrecht atuava em 70 países até a Lava Jato.
A Odebrecht atuava em 70 países até a Lava Jato.

O encontro foi organizado pela (PGR) Procuradoria-Geral da República e dele participaram procuradores de Argentina, Chile, Colômbia, Equador, México, Panamá, Portugal, Peru, República Dominicana e Venezuela, países nos quais são investigadas as práticas corruptas cometidas pela construtora.

O comunicado divulgado após uma reunião que aconteceu sob total sigilo informou que também foi decidido criar “equipes conjuntas de investigação, bilaterais ou multilaterais”, para coordenar os trabalhos no Brasil e nos outros países em que a Odebrecht incorreu em subornos e outros atos ilegais.

Esses grupos, segundo a nota, “atuarão com plena autonomia técnica e em desenvolvimento de sua independência funcional”, que é um “princípio reitor” dos Ministérios Públicos.

O comunicado também ressalta “a importância da recuperação dos ativos e da reparação integral dos danos causados por esses ilícitos, incluindo o pagamento de multas, segundo a legislação de cada país”.

Fonte: Portal UOL

Notícias Relacionadas