970×90

Wagner depõe como testemunha de Lula sobre o triplex de Guarujá

O juiz federal Sérgio Moro, que é responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, ouve mais testemunhas de defesa, nesta segunda-feira (13), no processo penal da Lava Jato que tem como um dos réus o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O processo penal envolve o caso do triplex em Guarujá, no litoral de São Paulo.

Ex-ministro Jacques Wagner fala em defesa de Lula em audiência da Lava Jato.
Ex-ministro Jacques Wagner fala em defesa de Lula em audiência da Lava Jato.

Entre as testemunhas que devem ser ouvidas estão o ex-ministro do Governo Dilma e atual secretário do Desenvolvimento Econômico da Bahia (SDE), Jaques Wagner (PT), e o ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli. Os dois foram arrolados pela defesa do ex-presidente Lula.

As audiências serão realizadas em três horários – às 9h30, 14h e às 16h. Os interrogatórios serão realizados via videoconferência por Salvador, na Bahia; em em Barueri e Osasco, em São Paulo.

Além do ex-presidente, outras seis pessoas também são rés na mesma ação. A esposa de Lula, Marisa Letícia, que morreu na sexta-feira (3), também era ré nesta ação penal.

A denúncia foi aceita em setembro do ano passado e abrange três contratos da OAS com a Petrobras. As acusações são de que R$ 3,7 milhões em propinas foram pagas a Lula. Para os procuradores do Ministério Público Federal (MPF), a propina se deu por meio da reserva e reforma do apartamento triplex, em Guarujá, e do custeio do armazenamento de seus bens.

Lula responde por corrupção passiva e lavagem de dinheiro nesta ação penal. Ele é réu em dois processos relacionados à Lava Jato na Justiça Federal do Paraná. As oitivas com as testemunhas de defesa devem se estender até março deste ano. Ao todo, 70 pessoas incluindo outros réus que respondem à esta mesma ação penal, foram arroladas. (G1-Paraná/RPC/Adriana Justi)

Notícias Relacionadas