Governo do Espírito Santo e PM chegam a acordo para acabar com a greve

Associações representantes dos policiais militares e membros do governo do Espírito Santo entraram em acordo na noite desta sexta-feira (10). A informação sobre o acordo entre as partes foi confirmada pelo secretário estadual de Diretos Humanos, Júlio Pompeu, e pelo presidente da OAB-ES, Homero Mafra, segundo informa o site do jornal A Gazeta, de Vitória.

Espírito Santo vive caos por conta da greve da Polícia Militar (Foto: Reprodução/TV)
Espírito Santo vive caos por conta da greve da Polícia Militar (Foto: Reprodução/TV)

Se voltarem ao trabalho amanhã (11), às 7h, não haverá punições disciplinares. O acordo não prevê reajuste de salário. De acordo com a ata, o governo desiste de todas as ações judiciais contra as associações dos policiais militares e se compromete a formar comissão para regulamentar carga horária dos PMs. O acordo prevê a volta dos policiais militares às 7h deste sábado (11).

O Governo acordou ainda em não seguir com punições administrativas disciplinares contra aqueles policiais que voltarem aos seus postos de trabalho até as 7h de sábado. Quanto aos 703 militares que já foram indiciados até esta sexta-feira (10), as investigações seguirão normalmente.

As mulheres dos policiais militares não participaram da reunião e, portanto, não assinaram a ata. “Por enquanto continua tudo igual. O governo não decide pelo movimento. Houve uma reunião, uma proposta, e a gente ainda não sabe se aceita a proposta do governo. Assim como o governo ainda não aceitou a nossa. As mulheres ainda vão se reunir”, disse uma das manifestantes.

Fonte: A Gazeta

Notícias Relacionadas