970×90

Oposição diz que criação do Colégio de Líderes democratiza votações na Alba

A Bancada de Oposição, liderada pelo deputado estadual Leur Lomanto Jr. (PMDB), destacou que a criação do Colégio de Líderes para organização das pautas de votações e tomadas de decisões políticas na Assembleia Legislativa da Bahia, atende a uma das reivindicações feitas pelo grupo, durante o processo de sucessão da Mesa Diretora. Uma reunião entre o presidente da Casa, deputado Ângelo Coronel (PSD), o líder oposicionista Leur Lomanto Jr. (PMDB), do governo, deputado Zé Neto (PT) e de demais blocos partidários definiu ontem (8), a implantação do Conselho de Líderes para avaliar as proposições do Poder Executivo e de parlamentares, antes de serem apreciadas em plenário.

Em reunião com presidente da Assembleia, Ângelo Coronel, as lideranças discutiram a implantação do Conselho de Líderes da Assembleia Legislativa.
Em reunião com presidente da Assembleia, Ângelo Coronel, as lideranças discutiram a implantação do Colégio de Líderes da Assembleia Legislativa.

O objetivo é que o trâmite das votações seja respeitado, sendo os projetos encaminhados para o exame nas Comissões para depois serem incluídos na Ordem do dia para discussão. O intuito também será destravar projetos de parlamentares, uma das antigas cobranças na Casa.

“A instalação do Colégio de Líderes deve democratizar as decisões, evitando o número excessivo de projetos do governo, em regime de urgência, como vem ocorrendo há alguns anos. Esperamos que a partir de agora essa praxe acabe, dando mais tempo para um debate amadurecido das questões. O propósito é que o rito legislativo seja respeitado, sendo os projetos mais discutidos com a sociedade para somente depois serem votados. Essa foi uma medida assertiva de distribuir as decisões entre os líderes das bancadas e blocos”, afirmou Leur Lomanto Jr. O líder da Oposição também enfatizou que a bancada intensificará o trabalho de fiscalização do governo, usando todos os instrumentos regimentais.

O líder do bloco Democratas, deputado Tom Araújo também frisou a oportunidade que os líderes terão de avaliarem os projetos. “Vamos ter uma participação mais efetiva nas discussões. Isso para a Bancada de Oposição é extremamente importante, já que a tendência é impedir o rolo compressor. Um pontapé importante para a democracia da Casa. Além disso, a expectativa é que os projetos de deputados também sejam avaliados, abrindo espaço para maior aprovação”, enfatizou. O líder do PSDB, Adolfo Viana destacou a tendência de mais transparência nas discussões, dando mais chance para que os deputados conheçam mais profundamente os projetos antes de votarem. O líder do PMDB, Pedro Tavares ressaltou o empenho para que as decisões ocorram de forma mais democrática, na deliberação dos projetos, não apenas com a participação do líder da oposição e do governo, mas de todos os blocos. A Bancada de Oposição também avalizou a decisão sobre o corte de pontos para os deputados que faltarem as comissões.

Notícias Relacionadas