Delações atingem ”quase todo” governo Temer

CLÁUDIO HUMBERTO

As acusações do ex-diretor da Odebrecht Cláudio Melo Filho contra três ministros – Eliseu Padilha, Moreira Franco e Geddel Vieira Lima, já demitido – são “modestas”, comparadas às revelações dos demais 76 executivos da empreiteira. Fonte ligada às investigações se espantou: “quase todo governo” está enrolado. Isso não inclui o presidente, que só pode responder por crime cometidos em sua própria administração.

O baiano Geddel Vieira Lima caiu após as denúncias (Foto:  André Coelho/O Globo/Reprodução)
O baiano Geddel Vieira Lima caiu após as denúncias (Foto: André Coelho/O Globo/Reprodução)

SEMPRE PROPINAS
As delações não se relacionam ao atual governo, e sim ao pagamento de propinas por obras obtidas, disfarçadas de doações eleitorais.

MINISTRO AO ALVO
Romero Jucá (Planejamento), Henrique Alves (Turismo) e Geddel Vieira Lima (Governo), históricos do PMDB, caíram após as denúncias.

CINCO CABEÇAS
Nos primeiros meses de governo, acusações graves derrubaram seis ministros. O mais recente foi Geddel Vieira Lima, ligado ao presidente.

CONSOLIDAÇÃO
Michel Temer já afirmou que as delações contra seus ministros são apenas “alegações”, mas, uma vez “consolidadas”, ele promete agir. (Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais)

Notícias Relacionadas