Eike Batista e mais oito são alvo de operação da Polícia Federal

Eike Batista, principal alvo,  é acusado de pagar propina para conseguir facilidades em contratos com o governo, quando governador era Sérgio Cabral.
Eike Batista, principal alvo, é acusado de pagar propina para conseguir facilidades em contratos com o governo, quando governador era Sérgio Cabral.

A Polícia Federal (PF) e o Ministério Público Federal, com o apoio da Receita Federal, cumprem hoje (26) nove mandados de prisão preventiva contra acusados de lavagem de dinheiro no valor de cerca de US$ 100 milhões (cerca de R$ 317 milhões). Entre os alvos da chamada Operação Eficiência está o empresário Eike Batista, dono do grupo EBX, que não foi localizado. Segundo advogado que diz representar o empresário, ele está viajando.

Outros alvos da operação são o ex-governador Sérgio Cabral, que já está preso no complexo penitenciário de Gericinó, em Bangu, e Wilson Carlos e Carlos Miranda, que também estão presos. Esse é o terceiro mandado de prisão preventiva expedido contra Cabral, Wilson Carlos e Carlos Miranda. Além dos mandados de prisão, estão sendo cumpridos quatro mandados de condução coercitiva e 22 mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro. Os mandados foram expedidos pela 7ª Vara Federal Criminal. A ação é um desdobramento da Operação Calicute.

Eles são acusados de lavagem de dinheiro desviado de obras públicas no Rio de Janeiro. Também são investigados pelos crimes de corrupção ativa e corrupção passiva, além de organização criminosa.

Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil e Redação do Jornal da Mídia

Notícias Relacionadas