Também no Senado, PT troca apoio por boquinhas.

CLÁUDIO HUMBERTO

O PT tenta minimizar a perda de milhares de boquinhas no governo federal e nas prefeituras, após a derrota humilhante nas urnas em 2016. A ideia é fechar acordos que lhes garantam cargos, para acomodar seus principais assessores e conter a debandada. Na Câmara, o PT apoiará Rodrigo Maia em troca de boquinhas, e não vai atrapalhar a eleição de Eunício Oliveira (PMDB-CE) para presidente do Senado, na expectativa de ganhar cargos na Mesa e nas comissões.

Lula da Silva (Foto: Ricardo Stuckert/Reprodução/Diário do Poder)
Lula da Silva (Foto: Ricardo Stuckert/Reprodução/Diário do Poder)

CEM TETAS, A META
A meta do PT, definida com Lula, é de 100 cargos no Congresso para acomodar petistas, perdidos como cachorros em dia de mudança.

QUEM COM FERRO FERE
Assim como pediu a Rodrigo Maia a 1ª secretaria da Câmara, em troca de apoio, o PT exige o mesmo cargo no Senado Federal.

CARAS BOQUINHAS
Na 1ª secretaria, o PT controlaria no Senado um orçamento de R$ 4,2 bilhões e vinte cargos que pagam até R$ 22 mil por mês, cada.

CHAVE DO COFRE
O PT quer a chave do cofre: o orçamento da 1ª secretaria da Câmara soma R$ 5,9 bilhões e os cargos são de R$ 17 mil por mês. (Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais).

Notícias Relacionadas