Sem Cunha, gastos com passagens caem 10%.

CLÁUDIO HUMBERTO

A Câmara torrou R$ 24,4 milhões com a “emissão de bilhetes aéreos” apenas no segundo semestre de 2016, já com Rodrigo Maia (DEM-RJ) na presidência da Casa. O valor é 10% menor que os R$ 27,1 milhões distribuídos às empresas aéreas no mesmo período de 2015, enquanto o ex-deputado cassado e preso Eduardo Cunha (PMDB-RJ) estava no comando dos trabalhos. Tudo foi reembolsado pela cota parlamentar.

Cunha é preso da Lava-Jato
Cunha é preso da Lava-Jato

MANDATO TAMPÃO
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, assumiu mandato tampão em julho, após Eduardo Cunha ser enxotado do cargo direto para a prisão.

NÃO FOI MAIA
A redução não significa preocupação de Rodrigo Maia com dinheiro público. Está atrelada a uma série de eventos alheios à Câmara.

FÉRIAS COLETIVAS
No ano passado, houve eleição municipal e as Olimpíadas do Rio, que reduziram o número de sessões e viagens dos deputados federais.

FORA SALÁRIOS
Além dos reembolsos de passagens aéreas, os deputados receberam, em cada período de 6 meses, mais de R$ 121 milhões em salários. (Coluna da Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais).

Notícias Relacionadas