Suspeito de atentado na Alemanha é morto em blitz na Itália

Anis Amri estava a pé e, depois de ter se recusado a mostrar documentos para os oficiais, tirou a pistola da mochila e começou a atirar. (Foto: Reprodução)
Anis Amri estava a pé e, depois de ter se recusado a mostrar documentos para os oficiais, tirou a pistola da mochila e começou a atirar. (Foto: Reprodução)

Um homem que foi morto por policiais em um tiroteio durante uma blitz na cidade de Milão, após se recusar a mostrar seus documentos na madrugada desta sexta-feira (23), foi identificado como o tunisiano Anis Amri. Ele é suspeito de ser o terrorista de 24 anos que atacou, com um caminhão, um mercado de produtos natalinos em Berlim. Doze pessoas morreram no atentado, na última segunda-feira (9). A informação é da Agência Ansa.

De acordo com as primeira informações obtidas pela Ansa, o suspeito, durante um controle de documentos normal na Piazza Primo Maggio, na cidade Sesto S. Giovanni, região da Lombardia, tirou uma arma de fogo de sua mochila e começou a disparar contra os policiais.

Segundo a polícia local, Anis Amri estava a pé e, depois de ter se recusado a mostrar documentos para os oficiais, tirou a pistola da mochila e começou a atirar. Um dos disparos atingiu as costas de um dos policiais, que foi levado para um hospital na cidade de Monza e não corre risco de morte. Já o atirador, que no momento ainda não havia sido identificado pelos agentes, morreu pouco tempo depois.

—-
Agência Brasil
Agência Ansa
—-

Notícias Relacionadas

1 Comentário

  1. Welington Paulista

    O sujeito comete um atentado terrorista contra uma das maiores potências e ainda consegue transitar livremente pela Europa? Lembrou o Brasil no quesito fragilidade de fronteiras..

Comentários estão suspensos