Aliado de ACM Neto vai gerir fundo bilionário da pasta de Educação

Quando secretário de ACM Neto, Silvio Pinheiro  (esquerda)  foi responsável por liberar o alvará para construção do edifício "La Vue", na Ladeira da Barra, do caso Geddel Vieira Lima.   Pinheiro é amigo e parceiro profissional Tiago Cedraz,  filho do ministro do TCU (Tribunal de Contas da União), Aroldo Cedraz, e é investigado pela Operação Lava Jato por suspeita de recebimento de propina no esquema da Petrobras.
Quando secretário de ACM Neto, Silvio Pinheiro (esquerda) foi responsável por liberar o alvará para construção do edifício “La Vue”, na Ladeira da Barra, do caso Geddel Vieira Lima. Pinheiro é amigo e parceiro profissional Tiago Cedraz, filho do ministro do TCU (Tribunal de Contas da União), Aroldo Cedraz, e é investigado pela Operação Lava Jato por suspeita de recebimento de propina no esquema da Petrobras.

Reportagem do jornal Folha de S. Paulo desta quarta-feira (21) mostra que um dos auxiliares mais próximos do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), Sílvio Pinheiro, foi nomeado hoje para o comando do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), do Ministério da Educação. O órgão -que terá um orçamento de R$ 67 bilhões no próximo ano- é responsável por executar as políticas de educação básica do ministério, como programas de transporte escolar, merenda, material didático e construção de creches.

Segundo o repórter João Pedro Pitombo, da Folha, Pinheiro assume o cargo de Gastão Vieira (Pros), ex-ministro do Turismo e aliado do ex-presidente e ex-senador José Sarney, que foi exonerado. Advogado, Sílvio Pinheiro foi secretário municipal de Urbanismo na prefeitura de Salvador entre 2015 e 2016 e chegou a ser cotado para disputar o posto de candidato a vice-prefeito nas eleições deste ano. Na pasta de Urbanismo, foi o responsável por medidas polêmicas como o novo Plano Diretor de Desenvolvimento urbano de Salvador, que possibilitará a construção de prédios mais altos na orla da capital baiana.

“No cargo”, conta a Folha, Pinheiro ”também foi responsável por liberar o alvará para construção do edifício “La Vue”, na Ladeira da Barra. O prédio esteve no centro de uma polêmica com o Iphan (Instituto do Patrimônio Artístico Nacional) que resultou na demissão do então ministro Geddel Vieira Lima (PMDB). Pinheiro é filiado ao PSDB. Antes disso, fez parte dos quadros do Solidariedade na Bahia a convite do amigo e parceiro profissional Tiago Cedraz, membro da executiva nacional do partido. Cedraz é filho do ministro do TCU (Tribunal de Contas da União), Aroldo Cedraz, e é investigado pela Operação Lava Jato por suspeita de recebimento de propina no esquema da Petrobras. Ele nega as acusações”.

Notícias Relacionadas