Real Madrid derrota o Kashima na prorrogação e vence o Mundial de Clubes

O real contou com o talento de Cristiano Ronaldo, autor de três gols na vitória por 4 a 2. (Foto: Real Madrid/Divulgação)
O real contou com o talento de Cristiano Ronaldo, autor de três gols na vitória por 4 a 2. (Foto: Real Madrid/Divulgação)

O Real Madrid sofreu mais do que esperado para conquistar o título mundial, mas contou com o talento de Cristiano Ronaldo, autor de três gols na vitória por 4 a 2 na prorrogação sobre o valente anfitrião Kashima Antlers, neste domingo, em Yokohama.

O atual campeão europeu chegou ao topo do mundo pela quinta vez, depois de conquistar três Copas Intercontinentais (1960, 1998 e 2002) e um troféu no formato atual do Mundial de Clubes, com participação de times de todos os continentes, em 2014.

Os comandados de Zinedine Zidane fecham o ano com três títulos internacionais, depois da conquista da 11ª Liga dos Campeões do clube, em maio, e da Supercopa da Europa, em agosto.

Líder isolado do Campeonato Espanhol, o Real não perde desde abril e ampliou seu recorde de invencibilidade para a marca impressionante de 37 jogos.

Melhor jogador em campo, francês Karim Benzema abriu o placar logo aos 9 minutos de jogo, ao pegar a sobra de um chute venenoso do croata Luka Modric.

O Real se acomodou e o camisa 10 Gabu Shibasaki virou o marcador, empatando aos 44 e deixando o Kashima em vantagem aos 7 da segunda etapa.

CR7 deixou tudo igual de pênalti aos 14 e garantiu o título do Real com gols aos 8 e 13 do tempo extra.

Com o ‘Hat Trick’, o astro português, que conquistou a quarta Bola de Ouro na última segunda-feira, também se consagrou como artilheiro do Mundial, com quatro gols marcados. Nas outras duas edições em que participou, ele havia anotado apenas um gol, em 2008, quando defendia o Manchester United.

O jogo também foi marcado por uma polêmica, quando o árbitro zambiano Janny Sikazwe deixou de expulsar o capitão ‘merengue’ Sergio Ramos, que cometeu falta dura no fim do tempo regulamentar, quando já tinha recebido um cartão amarelo.

O árbitro chegou a colocar a mão no bolso, ameaçando dar o vermelho, mas voltou atrás, sem que o recurso do vídeo seja oficialmente acionado, quando o regulamento prevê que pode ser justamente usado nesse caso.

Notícias Relacionadas