Odebrecht tentou aliciar Romário, mas não deu.

CLÁUDIO HUMBERTO

A delação do ex-executivo da Odebrecht Cláudio Melo Filho implica políticos em esquemas de corrupção da empreiteira, mas também surpreende isentando o senador Romário (PSB-RJ). A Odebrecht bem que tentou comprar o baixinho: Melo se aproximou do senador, mas os entendimentos deram em nada porque em sua campanha Romário gravou críticas à Odebrecht tendo como pano de fundo a reforma do Maracanã: “ele falou mal dos estádios construídos por nós”.

Romário gravou críticas à Odebrecht tendo como pano de fundo a reforma do Maracanã
Romário gravou críticas à Odebrecht tendo como pano de fundo a reforma do Maracanã

ESTRATÉGIA REVELADA
A delação revela a estratégia da empreiteira: ao contrário do que é dito por advogados, a iniciativa de procurar o político foi da Odebrecht.

DE CIMA
O diretor de Relações Institucionais da empresa, Eduardo Martins, sugeriu que Melo se aproximasse do senador Romário em Brasília.

VETO
O diretor de RI da Odebrecht queria contribuir financeiramente para a campanha de Romário, mas houve “veto” da empreiteira no Rio.

BIRRA
Leandro Azevedo, da Odebrecht no Rio, lembrou que Romário “falou mal” da empresa em frente a uma placa com a logo da empreiteira. (Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais)

Notícias Relacionadas