970×90

STJD arquiva caso Victor Ramos, mas Internacional pode recorrer.

Victor Ramos, zagueiro do Vitória (Foto: Divulgação)
Victor Ramos, zagueiro do Vitória (Foto: Divulgação)

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) arquivou na noite desta quinta-feira o caso do zagueiro Victor Ramos, do Vitória. Não será feita nenhuma denúncia contra o time baiano, segundo informa reportagem do site do jornal O Globo< /strong>. Rival do Vitória na luta contra o rebaixamento, o Internacional alegava que havia um erro na inscrição do jogador e havia apresentado, no STJD, um documento com 42 páginas, pedindo que o clube baiano perdesse pontos nas partidas em que havia escalado Victor Ramos. O Inter deve recorrer da decisão.

– Se arquivado, podem recorrer a mim. Dificilmente, a decisão seria mudada – disse o procurador-geral do STJD, Felipe Bevilacqua, no começo da tarde.

O clube gaúcho tinha como último trunfo uma troca de emails entre a diretoria baiana e a CBF, divulgada pelo “Estado de S. Paulo”. Na mensagem, Reynaldo Buzzoni, diretor de Registro e Transferência da entidade, recomenda que o Vitória faça a transferência internacional, pois Victor Ramos, que pertence ao Monterrey, do México, estava sob contrato de empréstimo ao Palmeiras quando a negociação foi feita, em fevereiro deste ano. Porém, não foi levado a cabo e o clube da Bahia registrou o jogador segundo os trâmites nacionais.

A mensagem enviada por Buzzoni ao representante do Vitória dizia o seguinte: “Primeiro, o Palmeiras e o clube mexicano deve (sic) dar uma conclusão ao TMS #106697, sobre o empréstimo do atleta ao Palmeiras. Após isso, será necessário o retorno do empréstimo para o México e um novo pedido de empréstimo para o Vitória. Mesmo para um clube do mesmo país, é necessário o retorno do ITC para o México para depois gerar um novo empréstimo para o clube brasileiro”.

Porém, Victor Ramos foi transferido para o Vitória diretamente do Palmeiras, sem passar pelo processo internacional. Procedimento que não foi considero correto, mas que não configuraria irregularidade, pois isso só ocorreria se não houvesse o ITC (Certificado de Transferência Internacional, em inglês), segundo Buzzoni em entrevista recente. Como o empréstimo foi feito pelos trâmites de transferência nacional, o ITC não saiu do Brasil. O clube baiano diz ter um documento da Fifa que comprova a regularidade do jogador.

Fonte: O Globo

Notícias Relacionadas