SSP rechaça greve da Polícia Militar; Mas oficiais fazem exigências.

O movimento dos policiais estabelece que as operações policiais serão feitas  apenas com viaturas padronizadas, com documentação regularizada, pneus em bom estado de qualidade e com extintores e coletes dentro do prazo de validade.
O movimento dos policiais estabelece que as operações policiais serão feitas apenas com viaturas padronizadas, com documentação regularizada, pneus em bom estado de qualidade e com extintores e coletes dentro do prazo de validade.

A Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) negou a informação de que os policiais militares de Salvador haviam deflagrado uma greve da categoria nesta sexta-feira (2). Em nota divulgada por sua assessoria de Comunicação, a SSP afirmou que “todas unidades da Polícia Militar continuam funcionando normalmente, sem qualquer tipo de alteração”.

Leia Também:

Polícia Militar da Bahia já ensaia greve e mantém a “Operação Tartaruga”

As informações sobre a greve começaram a circular após os oficiais decidirem em assembleia pela adesão ao Movimento Polícia Legal. A ação tem como intuito realizar as operações policiais apenas com viaturas padronizadas, com documentação regularizada, pneus em bom estado de qualidade e com extintores e coletes dentro do prazo de validade.

Na nota pública, a SSP explicou que o Comando-Geral da PM ressaltou que todos os equipamentos necessários para a segurança dos profissionais e dos baianos (armamento, coletes balísticos, viaturas, entre outros) são garantidos e utilizados diuturnamente nas ações ostensivas. “Lembra ainda que as unidades da PM no estado tiveram a frota de viaturas renovada. No total, em 2016, foram 1400 veículos substituídos por equipamentos 0 km”, afirma a SSP por meio de nota. O movimento será realizado até a próxima terça-feira (6).

Notícias Relacionadas