Calero pressionou contra a CPI da Lei Rouanet

CLÁUDIO HUMBERTO

O ex-ministro da Cultura Marcelo Calero pressionou contra a instalação da CPI da Lei Rouanet na Câmara dos Deputados, tanto quanto foi pressionado por Geddel Vieira Lima a levantar o embargo do Iphan à obra do edifício dele, em Salvador. Calero não queria CPI investigando a farra milionária usando a lei de incentivo à cultura. Ele telefonou três vezes ao deputado Alberto Fraga (DEM-DF), presidente da CPI, tentando impedir sua instalação.

Calero foi à Câmara pressionar deputados do PMDB e de outros partidos contra a CPI. (Foto; Reprodução/TV Globo/GloboNews)
Calero foi à Câmara pressionar deputados do PMDB e de outros partidos contra a CPI. (Foto; Reprodução/TV Globo/GloboNews)

TRÁFICO DE INFLUÊNCIA
Alberto Fraga confirma a pressão do ex-ministro Marcelo Calero contra a CPI da Lei Rounet. “Quem cometeu tráfico de influência?”, questiona.

BOCA LIVRE NA MIRA DA PF
Tanto quanto a CPI, a Operação Boca Livre, da Polícia Federal, deflagrada em outubro, investiga a utilização corrupta da Lei Rouanet.

PRESSÃO IMPARÁVEL
“Ele me pediu várias vezes para não instalar a CPI”, denunciou o deputado Alberto Fraga, referindo-se ao ex-ministro Marcelo Calero.

DESESPERO
Além de Fraga, Calero foi à Câmara pressionar deputados do PMDB e de outros partidos contra a CPI. Mas sua pressão foi inútil. (Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais).

Notícias Relacionadas