Megadelação da Odebrecht assombra até o STF: “Não fica um, meu irmão”.

A delação da Odebrecht é uma obra do amigo "EO" de Lula. (Foto: Reproduç/aoFacebook)
A delação da Odebrecht é uma obra do amigo “EO” de Lula. (Foto: Reprodução/Facebook)

CLÁUDIO HUMBERTO

As primeiras informações que chegaram ao Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o teor da megadelação dos executivos da Odebrecht deixaram ministros “particularmente preocupados”, segundo um deles. Eles se preocupam com a estabilidade política do País de tão graves e amplas. O assombro decorre dos depoimentos preliminares dos delatores, que fará parecer “bobagem” o que foi revelado até agora.

SEM CHANCE DE ESCAPAR
As delações vão enriquecer os inquéritos abertos no STF com provas robustas, sem deixar dúvidas quanto à condenação dos investigados.

NÃO FICA UM, MEU IRMÃO
A impressão que se tem, na força-tarefa da Lava Jato, é exagerada: “não vai sobrar ninguém na classe política”, diz um dos investigadores.

UMA OBRA DO ‘AMIGO EO’
Emílio Odebrecht, o “amigo EO” de Lula, liderou a iniciativa da delação para a empresa sobreviver. Ofereceu prêmio e 78 executivos aderiram.

ESPELHO MEU
Esta coluna informou primeiro, há 8 meses, o início da penosa negociação da delação de Marcelo Odebrecht e de seus executivos. (Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais).

Notícias Relacionadas