Delação da Odebrecht pode atingir 200 políticos; 78 diretores assinam acordo

Marcelo Odbrecht está preso em Curitiba desde junho de 2015.
Marcelo Odbrecht está preso em Curitiba desde junho de 2015.

Executivos da empreiteira Odebrecht, investigada na Operação Lava Jato, começaram a assinar hoje (23) acordos de delação premiada com a força-tarefa de procuradores que investiga desvios na Petrobras. Os termos dos acordos estão sob sigilo e os detalhes não serão divulgados.

Segundo a comentarista política Cristiana Lôbo, da GloboNews, 78 diretores e ex-diretores da empreiteira vão assinar o acorde de delação, que deverá atingir 200 políticos.

Um dos depoimentos mais esperados pelos procuradores é o do ex-presidente da empreiteira Marcelo Odebrecht, condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a 19 anos e quatro meses de prisão por crimes de corrupção passiva, associação criminosa e lavagem de dinheiro na Lava Jato.

A expectativa é que os depoimentos, nos quais os funcionários devem relatar repasses de propina para políticos, sejam enviados no começo do ano que vem para o Supremo Tribunal Federal (STF), ao qual caberá a homologação das oitivas.

Em março, a Operação Xepa, uma das fases da Lava jato, teve a Odebrecht como principal alvo e prendeu diretores e executivos da companhia.

Repórter da Agência Brasil/Jornal da Mídia

Notícias Relacionadas