Mandato de Temer não corre riscos, vai até o fim.

O PT pode tirar o cavalinho da chuva: o presidente Michel Temer concluirá seu mandato. Se o Tribunal Superior Eleitoral decidisse cassá-lo ainda este ano, o caso seria julgado só no 2º semestre de 2017, mas um pedido de vista o empurraria ao fim do ano. Na remota hipótese de cassação, caberia recurso ao Supremo Tribunal Federal, entrando na pauta no 2º semestre de 2018, após pedido de vista.

Michel Temer (Foto: Agência Brasil)
Michel Temer (Foto: Agência Brasil)

CONTAMINAÇÃO
A defesa de Dilma tenta arrastar Temer ao processo que pode cassar o registro da chapa, suspeita de receber doações de dinheiro roubado.

VAI DEMORAR MUITO
O Planalto avalia que o TSE só irá julgar no segundo semestre de 2017 o caso que, em tese, poderia cassar o registro da chapa Dilma-Temer.

HIPÓTESE REMOTÍSSIMA
Se no TSE só houvesse ministros Lewandowski, cassando Temer ainda em 2016, uma nova eleição teria de ser convocada em 30 dias.

O QUE PREVÊ A LEI
Se Temer fosse cassado após 1º de janeiro – dois anos antes do fim do seu mandato – em 30 dias o Congresso elegeria presidente-tampão. (Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais).

Notícias Relacionadas