Roberto Carlos se emociona com Caetano e Gil no especial de fim de ano da Globo

Com grandes nomes da MPB, o Rei se emocionou e visitou diferentes fases de sua consagrada carreira. (Foto: TV Globo/Divulgação)
Com grandes nomes da MPB, o Rei se emocionou e visitou diferentes fases de sua consagrada carreira. (Foto: TV Globo/Divulgação)

Em ambiente intimista, com o público bem próximo, Roberto Carlos gravou seu tradicional especial de fim de ano para cerca de 200 convidados, em cada uma das duas noites (7 e 8/11) nos Estúdios Globo. Com grandes nomes da MPB, o Rei se emocionou e visitou diferentes fases de sua consagrada carreira. Roberto Carlos não se conteve e chegou a ficar com lágrimas nos olhos ao dividir o palco com Caetano Veloso e Gilberto Gil.

“É um privilégio estar aqui cantando com eles. Quantos outros artistas gostariam de estar no meu lugar”, disse ele, que interpretou “Coração Vagabundo” e “Marina” ao lado da dupla no segundo dia de gravações.

O lado cativante e brincalhão do astro da Jovem Guarda também ficou evidente nas participações da cantora mirim Rafa Gomes, finalista do The Voice Kids, e Zeca Pagodinho, que carregou a responsabilidade de prestar homenagem aos 100 anos de Samba no especial.

Roberto fez questão de deixar clara sua admiração por Rafa Gomes: “Quando a vi no programa, fiquei encantado. Pensei: quero tê-la no meu especial esse ano”. Eles cantaram três músicas juntos. “História de Uma Gata”, que a destacou no reality, “Ben”, sucesso na voz de Michael Jackson, e “Todos Estão Surdos”, de Roberto Carlos e Erasmo Carlos, encantando os convidados da primeira noite.

O palco se transformou em verdadeira roda de samba com a entrada de Zeca Pagodinho e sua banda. Com o pout-pourri “Com que Roupa”, “O Sol Nascerá” e “Se Acaso Você Chegasse”, as estrelas arrancaram aplausos, em parceria descontraída e com direito a muitas piadas antes de encerrarem o dia com o sucesso “Caviar”. “Já é a terceira vez que participo do Especial. A primeira foi há 30 anos. Mesmo assim, fico nervoso. Cantar com o Rei é muito especial”, confessou o sambista.

O papo da dupla sobre o recente hino do samba de Zeca fez o público ir às gargalhadas. Perguntado pelo Rei qual era o gosto do caviar, o bamba de Xerém nem pensou duas vezes: “É como se lambesse o chão da Praça XV”.

Depois de 10 anos de sua primeira apresentação ao lado de Roberto em especiais, quando cantou “Amor, I Love You” e “Eu Te Amo, Te Amo, Te Amo”, Marisa Monte deixou a segunda noite de gravação ainda mais coroada pela grandeza da MPB.

“Tudo o que ela canta tem um toque especial”, disse Roberto ao apresentar a convidada. Juntos os dois cantaram “De que Vale Tudo Isso” e “Ainda Bem”, levando a plateia ao delírio com uma dança de rostinho colado ao final.
Roberto Carlos volta a cantar ‘Quero Que Vá Tudo Pro Inferno’

O Rei surpreendeu logo após o número com Marisa. Foi aplaudido de pé ao tocar “Quero Que Vá Tudo Pro Inferno”, canção que há mais de 30 anos não faz parte do repertório de seus shows. “Eu nem me lembro mais quanto tempo faz que cantei essa música pela última vez. Os amigos insistiam para que eu voltasse a cantar”, contou ele sobre o sucesso de 1965, do álbum “Jovem Guarda”. Um demorado abraço com o maestro Eduardo Lages selou a comemoração pela volta do hit, mostrando que a canção não é mais um tabu para Roberto.

Notícias Relacionadas