Paulo Bernardo tinha medo de ser preso há mais de um ano, diz jornal.

Paulo Bernardo
Paulo Bernardo

O ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo, tinha medo de ser preso desde o dia 10 de abril de 2015. Naquela data, há pouco mais de um ano, o ex-deputado federal André Vargas era levado à prisão durante a 11ª fase da Operação Lava Jato. Vargas era conhecido por aliados como o operador de Paulo Bernardo desde que o ex-ministro era deputado federal pelo Paraná.

Segundo o site do jornal Folha de São Paulo, quando o ex-secretário de comunicação do PT foi preso, no ano passado, Bernardo deixou transparecer sua preocupação a amigos. Achava que seria o próximo. Vargas foi investigado por ter usado um avião alugado pelo doleiro Alberto Youssef, operador de propina na Petrobras. Teve o mandato cassado em 2014 e, depois, desfiliou-se do PT por risco de ser expulso do partido.bA maior parte dos petistas tinha conhecimento da ligação entre Vargas e Bernardo e muitos integrantes do governo Dilma e da cúpula do PT sabiam do risco que o ex-ministro corria diante das investigações.

Em agosto do ano passado, Dilma precisou suspender a nomeação de seu ex-ministro das Comunicações para a diretoria-geral brasileira da hidrelétrica Itaipu. A então presidente da República estava convencida a nomear o aliado mas foi alertada pelo então ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, a não fazê-lo. Ele disse que Paulo Bernardo poderia ser alvo da Polícia Federal a qualquer momento, o que irritou a mulher do ex-ministro, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR).

A prisão de Bernardo, nesta quinta-feira (23), portanto, não surpreendeu os aliados de Dilma. O ex-ministro foi alvo de uma operação da Polícia Federal realizada em parceria com a Lava Jato. Ele foi detido em Brasília, no apartamento funcional de Gleisi, e deve ser levado à sede da PF em São Paulo.

Fonte: Folha de São Paulo/Marina Dias

Notícias Relacionadas

1 Comentário

Comentários estão suspensos