Voto de Tia Eron deve impedir cassação de Eduardo Cunha

Aliados apostam no voto de Tia Eron para barrar cassação de Cunha
Aliados apostam no voto de Tia Eron para barrar cassação de Cunha
Em um processo que se arrasta há 225 dias, o Conselho de Ética da Câmara se reúne hoje para decidir o destino político do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Os aliados do peemedebista estão confiantes de que o pedido de cassação poderá ser rejeitado com a ajuda da deputada Tia Eron (PRB-BA) e adversários já admitiam ontem essa possibilidade, motivo pelo qual buscam alternativas para que o réu na Operação Lava Jato perca o mandato.

Independentemente do resultado no colegiado, os grupos já se preparam para o confronto na próxima instância: a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). “Não temos mais o que fazer no Conselho”, disse Julio Delgado (PSB-MG), um dos que mais operaram pela cassação de Cunha. Sua avaliação era semelhante à de aliados do deputado afastado, que dão como certo que a maioria do colegiado vai derrotar o parecer pela cassação e aprovar o voto em separado do deputado João Carlos Bacelar (PR-BA), que pede a suspensão do mandato do peemedebista por três meses.

“Estou confiante de que a nossa tese será vitoriosa”, disse o vice-líder do PMDB, Carlos Marun (MS). Após a votação no conselho, Marun afirma que vai procurar Cunha para pedir que renuncie ao cargo de presidente da Câmara. Com a renúncia, seus aliados acreditam que será mais fácil negociar um acordão para salvar o mandato do peemedebista. Cunha está afastado da presidência da Câmara desde 5 de maio por decisão do Supremo Tribunal Federal.

Fonte: O Estadado de S. Paulo

Notícias Relacionadas