Voto de Tia Eron será dirigido pelo pastor Marcos Pereira, diz jornal.

A trajetória da deputada Tia Eron (PRB-BA) se confunde com a da Igreja Universal, a ponto de aliados dizerem que não é ela, e sim o presidente de seu partido, o pastor licenciado Marcos Pereira, que definirá seu voto decisivo no Conselho de Ética da Câmara, no processo de cassação do presidente afastado da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). É o que informa nesta quinta-feira (9) o jornal O Globo, em reportagem de Fernanda Krakovics.

Fiel da balança no Conselho de Ética,  a deputada baiana Tia Eron tem mandato vinculado à Igreja Universal. (Foto: Agência Câmara)
Fiel da balança no Conselho de Ética, a deputada baiana Tia Eron tem mandato vinculado à Igreja Universal. (Foto: Agência Câmara)

”A atuação dela sempre foi vinculada à Igreja Universal. O voto não é dela, é do Marcos Pereira. O que ele mandar, ela vai fazer. Por ela, ela não votaria a favor de Cunha, mas a informação é que o Marcos Pereira entrou nisso” — disse uma liderança política baiana.

O deputado Jorginho Mello, do PR, favorável à cassação de Cunha, foi trocado na CCJ por defensor do presidente afastado da Câmara.

Leia Também:

  • Tia Eron passou 4h em ‘esconderijo’ e garante que vai votar
  • Eronildes Carvalho começou a frequentar os cultos ainda criança, acompanhando a mãe. Mais tarde, tornou-se evangelizadora da Escola Bíblica Infantil, onde passou a ser conhecida como “tia”, tratamento incorporado ao nome político.

    Foi a partir do trabalho social na igreja, em bairros pobres de Salvador, que ela entrou na vida política. Tia Eron se elegeu vereadora na capital baiana pela primeira vez no ano 2000, pelo PFL. Foi reeleita três vezes, a última delas pelo PRB. Atualmente, além de deputada federal, Tia Eron cursa Direito na Faculdade Batista Brasileira. Viúva há mais de dez anos, ela tem 44 anos e dois filhos, Éden e Eva, ambos na casa dos 20 anos.

    Fonte: O Globo/Fernanda Krakovics

    Notícias Relacionadas