Impeachment: Padilha se diz preocupado com possibilidade de reversão de votos

O presidente da República interino Michel Temer e o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, durante a posse de Torquato Jardim na pasta da Transparência, Fiscalização e Controle (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
O presidente da República interino Michel Temer e o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, durante a posse de Torquato Jardim na pasta da Transparência, Fiscalização e Controle (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse hoje (2) que o cenário relativo à votação, no Senado, do impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff só será definido nos momentos finais do julgamento. Nesse sentido, afirmou o ministro, o governo tem “muita preocupação” com o risco de alguns votos de senadores serem revertidos contrariamente à atual administração.

“Quando se pensa em tempo para uma votação desse porte, uma hora antes da votação é quase uma eternidade. Estamos mais ou menos a 60 dias da votação. Portanto, vamos ouvir ainda muitas manifestações que, em tese, não esperávamos que acontecesse”, disse Padilha, após a cerimônia de posse do ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, Torquato Jardim.

“Portanto, preocupa, sim. Muita preocupação. Agora este é o placar que nós só vamos conhecer 24 horas antes. Eu falei que na Câmara seriam 368 voos, e deu 367. Falei que no Senado seriam 55, e deu 55. Mas isso a gente diz 24 horas antes. Tem muitas variáveis que ainda estão sendo consideradas”, acrescentou Padilha.

Segundo o ministro, a premissa maior é a vontade da sociedade brasileira. “Eu tenho certeza de que o Congresso vai retratar isso”, disse ele, ao admitir que, para obter essa vitória, “o governo terá de fazer sua parte”. (Pedro Peduzzi e Yara Aquino – Repórteres da Agência Brasil)

Notícias Relacionadas