Alunos de projetos apoiados pela Sudesb conduzem Tocha Olímpica no sul

Breno Ferreira, 15 anos, participou do revezamento da Tocha em Porto Seguro. (Foto: Divulgação)
Breno Ferreira, 15 anos, participou do revezamento da Tocha em Porto Seguro. (Foto: Divulgação)

Dois projetos de esporte e lazer que recebem o apoio da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb), autarquia da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), participaram da festa do revezamento da Tocha Olímpica em Porto Seguro, no extremo sul. O símbolo dos Jogos Olímpicos, na Bahia, já passou pelas cidades de Teixeira de Freitas, Itamaraju, Santa Cruz Cabrália e Porto Seguro e nesta sexta-feira (20) faz o trajeto pelas ruas de Eunápolis, Itapetinga e Vitória da Conquista.

Do Projeto Escola, Esporte e Lazer, coordenado pela Associação Baiana de Empreendedorismo Cultural (Abec), 35 alunos de capoeira se apresentaram na Passarela do Álcool. O projeto atende gratuitamente a 800 crianças, adolescentes e jovens das comunidades de Vila Vitória, Mercado do Povo, Paraguai, Centro do Baianão e Agrovila nas modalidades de futebol, futsal e capoeira.

Do Projeto Esporte e Lazer, no Território de Proteção do Instituto Tribos Jovens, o atleta indígena Breno Ferreira, 15, foi o primeiro adolescente a conduzir a Tocha Olímpica, por meio da parceria do Unicef com o Rio 2016, que levará três meninos e três meninas, integrantes de seus projetos sociais no País, para participar do revezamento.

Da etnia Pataxó, Breno é aluno de modalidades tradicionais indígenas e foi escolhido, segundo o coordenador do Instituto, Iuri Clauton, por integrar o Projeto Esporte e Lazer, por sua vivência na comunidade e conhecimento da cultura indígena.

“A indicação foi coletiva, como acontece normalmente nas comunidades indígenas da etnia Pataxó. Esse coletivo é representado pelo Conselho de Lideranças, Fundação Nacional do Índio (Funai), escola e o cacique”, explicou o coordenador, ressaltando que o atleta é destaque em todas as modalidades tradicionais que compreendem, entre outras, a corrida de tora e zarabatana, arremesso de tacape, arco e flecha, cabo de força, futebol e luta corporal. Ele ainda se expressa bem em Patxohã, língua falada pelos Pataxó.

Notícias Relacionadas