Marcelo Odebrecht arrola Dilma e três ex-ministros como testemunhas

Marcelo Odebrecht já foi condenado a mais de 19 anos em primeira instância e recorre da sentença.
Marcelo Odebrecht já foi condenado a mais de 19 anos em primeira instância e recorre da sentença.

Preso desde junho de 2015 pela Operação Lava Jato, o ex-presidente do Grupo Odebrecht, Marcelo Odebrecht, indicou a presidente afastada, Dilma Rousseff, como testemunha de defesa em um dos processos que responde na Operação Lava Jato. Além dela, ele pediu que o juiz federal Sérgio Moro ouça também os ex-ministros Edinho Silva, Guido Mantega e Antônio Palocci. Marcelo Odebrecht foi condenado a mais de 19 anos em primeira instância e recorre da sentença.

O ex-presidente da empreiteira ainda responde a mais duas ações na Justiça Federal. Dentre as ações, Marcelo responde a uma acusação do Ministério Público Federal (MPF), que indicou a existência de um setor da Odebrecht dedicado exclusivamente à contabilidade paralela da empresa.

O pedido para ouvir as testemunhas foi apresentado como reposta prévia à acusação do MPF. O advogado Nabor Bulhões pede que o cliente seja absolvido sumariamente e, caso não seja esse o entendimento do Moro, que sejam ouvidas todas as testemunhas arroladas. Ao todo, foram elencadas ao todo 15 testemunhas. No entanto, a defesa não alegou o motivo da indicação dessas pessoas.

Notícias Relacionadas