Embasa identifica mais de 40 ligações clandestinas em uma única rua

Uma equipe da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) iniciou a retirada de cerca de 45 fraudes em ligações de água na Rua Direta do bairro Arraial do Retiro, em Salvador. As irregularidades foram identificadas pela empresa durante a realização de escavações para execução de serviço de remanejamento da rede distribuidora de abastecimento de água do local. Juntos, estavam desviando, pelo menos, um milhão de litros de água por mês.

Muitas fraudes encontradas na Rua Direta do bairro Arraial do Retiro são antigas.
Muitas fraudes encontradas na Rua Direta do bairro Arraial do Retiro são antigas.

Entre as irregularidades encontradas estão ligação clandestina comum, feita por pessoa que nunca solicitou ligação de água para o seu imóvel ou que teve a água cortada por falta de pagamento e o ‘by pass’, desvio de água a partir de um ponto instalado indevidamente antes do hidrômetro, para impedir que o aparelho registre o consumo real.

“Além disso, estamos identificando ligações diretas e até ramal clandestino, quando o usuário está com a ligação de água ativa, mas implanta um novo ramal ou ligação para consumir mais água sem que haja medição no hidrômetro”, explica a supervisora comercial da Embasa, Daiane Lopes.

De acordo com a supervisora, muitas fraudes encontradas na rua são antigas, o que deve aumentar, consideravelmente, a estimativa do volume de água desviado. “Encontramos fraudes ajudando a abastecer imóveis com ligações ativas e regulares da Embasa, mas que estavam sendo cobrados pela tarifa mínima, que contempla um consumo de até 10 mil litros por mês. No entanto, a estimativa de consumo de um imóvel abastecido de forma clandestina é de, no mínimo, 30 mil litros mensais”.

Segundo Daiane, a empresa ainda vai calcular a estimativa do volume desviado por cada imóvel e multar os responsáveis. “Mas podemos dizer que os imóveis da rua, juntos, estavam desviando, pelo menos, um milhão de litros de água por mês”. Moradora da Rua Direta do Alto do Retiro, a dona de casa Maria Neuzice Santos, 66 anos, se orgulha de ter cometido irregularidades. “Graças a Deus, nunca fiz gato em minha vida. Para mim, todo mundo tem que economizar a água e pagar a conta. A Embasa está fazendo um ótimo trabalho aqui na rua”.

Notícias Relacionadas