Na raça, Vitória é campeão baiano mesmo com derrota para o rival Bahia.

Diego Renan, capitão do Vitória, levanta a taça do 28º título do Leão baiano.
Diego Renan, capitão do Vitória, levanta a taça do 28º título do Leão baiano.

Em jogo que teve muita catimba no dois tempos, nove cartões amarelos e duas expulsões e até briga no final, o Vitória sagrou-se campeão baiano de 2016 neste domingo, mesmo com a derrota por 1 a 0 para o Bahia na Fonte Nova. O time Rubro-Negro, que não jogou bem, foi beneficiado pela vantagem que obteve no jogo de ida, quando venceu o arquirrival por 2 a 0. O gol do Bahia foi marcado pelo volante Feijão ainda no primeiro tempo, escorando uma jogada iniciada por Thiago Ribeiro pela esquerda.

É o 28º título na história do Vitória e o 18º em 33 BA-Vis. Nos últimos 11 campeonatos decididos no clássico, o Vitória somente não foi campeão nos anos de 2012 e 2014. Na Arena Fonte Nova é o primeiro título. Para retomar a hegemonia, o Vitória disputou 12 jogos, venceu 8, empatou 1 e perdeu 3. Marcou 22 gols (o segundo ataque mais positivo) e sofreu 7 (a defesa menos vazada). O artilheiro foi Diego Renan com 4 gols.

O técnico Vagner Mancini completou 123 jogos – incluindo amistosos – no comando da equipe: venceu 56, empatou 25 e perdeu 42. Foi seu segundo título pelo rubro-negro, tendo conquistado em 2008 em sua primeira passagem.

O Jogo – Na decisão deste domingo, o Vitória entrou em campo com a vantagem porque derrotou o adversário no Barradão, dia 1º, no primeiro jogo da final. Com raça e muita determinação, o time rubro-negro não conseguiu na etapa inicial repetir seu futebol e sofreu um gol em um lance de pura sorte do rival.

No lance, Amaral tentou afastar a bola da área, que pegou na perna de Feijão e enganou o goleiro Caique.

O segundo tempo foi diferente. O Vitória jogou e, conseqüentemente, criou oportunidades de pelo menos empatar o clássico. Quis o destino, porém, que o título fosse ganho com a derrota, o que pouco importa.

A torcida, espremida em um canto do estádio, vibrou intensamente com o título e ficou até o presidente da FBF, Ednaldo Rodrigues, entregar ao capitão Diego Renan o troféu Antônio Pena, que orgulhosamente entra para a galeria rubro-negra.

É campeão!

BAHIA 1 X 0 VITÓRIA

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)
Data: 08/05/2016
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS-FIFA), assistido por Bruno Raphael Pires (GO-FIFA) e Luiz Cláudio Regazone (RJ-ASP. FIFA)
Gol: Feijão (BAH) aos 20min do 1º tempo;
Expulsões: Jean (BAH) aos 23min do 1º tempo; Lucas Fonseca (BAH), Diego Renan (VIT) aos 42min, Dedé (BAH) e Norberto )(VIT) aos 45min do 2º tempo
OBS: Jean, Dedé e Norberto foram expulsos no banco de reservas
Cartão Amarelo: Thiago Ribeiro, Tinga, Éder, Hernane (BAH) e Amaral, José Welison, Marinho, Vander e Willian Farias (VIT)
Público: 20.804 pagantes
Renda: R$715.007,50

BAHIA
Marcelo Lomba; Tinga, Lucas Fonseca, Éder e Moisés; Feijão, Danilo Pires (Henrique), Paulo Roberto (Juninho) e João Paulo Gomes (Luisinho); Thiago Ribeiro e Hernane
Técnico: Doriva Jr.

VITÓRIA
Caique; José Welison, Victor Ramos, Ramon e Diego Renan; Amaral, Willian Farias e Leandro Domingues (Tiago Real); Marinho (Vinícius), Kieza e Vander (Alípio)
Técnico: Vagner Mancini

Notícias Relacionadas