Marcelo Odebrecht relata pressão por doação via BNDES para a campanha de Dilma

Marcelo Odebrecht está preso desde junho
Marcelo Odebrecht está preso desde junho

O empresário Marcelo Odebrecht afirmou aos investigadores da Operação Lava Jato que o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega e o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, cobraram doações para a campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT), em 2014.

Segundo o jornal Folha de S.Paulo deste domingo (8), as declarações do empreiteiro foram feitas em um roteiro para negociar um eventual acordo de delação premiada. De acordo com a reportagem, Marcelo Odebrecht relatou que Mantega e Coutinho eram os responsáveis pela obtenção de doações entre empresários que tinham financiamento do BNDES no exterior – os empréstimos, segundo ele, eram usados como forma de pressionar as empresas por colaborações.

Os procuradores que integram a força-tarefa da Lava Jato querem, conforme a reportagem, que o empresário forneça detalhes de como funcionaria o esquema de financiamento de projetos no exterior por empreiteiras brasileiras por meio do banco de fomento.

Fonte: O Estado de São Paulo

Notícias Relacionadas