Odebrecht fez compra para sítio de Atibaia usado por Lula

Lula já frequentava o sítio em 2011, conforme manifestações dos próprios advogados do petista. (Foto: Imagem TV/Reprodução)
Lula já frequentava o sítio em 2011, conforme manifestações dos próprios advogados do petista. (Foto: Imagem TV/Reprodução)

Documentos a que o jornal Folha de São Paulo teve acesso indicam que a empreiteira Odebrecht bancou em fevereiro de 2011 a compra de bens para o sítio em Atibaia (SP) frequentado pelo ex-presidente Lula. Os papéis, de lojas de Atibaia, são os primeiros a ligar a construtora a gastos com a aquisição de produtos para a propriedade rural usada pelo ex-presidente.

Até agora somente testemunhos de fornecedores apontavam a Odebrecht como responsável pelo pagamento de materiais para o imóvel no interior paulista, segundo informa a Folha nesta quinta-feira (14).

A empreiteira já admitiu ter atuado nas reformas do sítio, mas relatou ter fornecido apenas parte da mão de obra para os trabalhos. A construtora afirmou somente ter encaminhado o engenheiro Frederico Barbosa e mais 15 funcionários para as obras no local, no período entre a segunda quinzena de dezembro de 2010 e meados de janeiro de 2011.

Porém negócios feitos em nome do engenheiro da Odebrecht Paulo Henrique Moreira Kantovitz em fevereiro de 2011 indicam que a empreiteira também financiou a compra de bens para a propriedade rural.

Nessa época, Lula já frequentava o sítio, conforme manifestações dos próprios advogados do petista. Segundo a defesa, o ex-presidente passou a visitar o local a partir de 15 de janeiro de 2011.

A reportagem teve acesso ao teor de um pedido de compra de um aquecedor elétrico para piscina feito em nome de Kantovitz em uma loja de Atibaia, cujo dono pediu para não ser identificado.

Leia mais na Folha de São Paulo

Notícias Relacionadas