Detran obtém liminar que suspende exame toxicológico para motoristas

O Detran recorreu à Justiça por entender que a resolução não tem aplicabilidade técnica e gera alto custo para os condutores (Foto: Alberto Coutinho/Secom)
O Detran recorreu à Justiça por entender que a resolução não tem aplicabilidade técnica e gera alto custo para os condutores (Foto: Alberto Coutinho/Secom)

A Justiça Federal da Bahia concedeu liminar ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran-BA), nesta sexta-feira (8), assinada pelo juiz Ávio Mozar José Ferraz de Novaes. Com isso, o órgão fica desobrigado de cumprir a resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que tornou obrigatório o exame toxicológico para a obtenção e renovação de habilitação nas categorias C, D e E. A liminar suspende a exigência para motoristas de ônibus, caminhões e carretas no estado.

O Detran recorreu à Justiça por entender que a resolução não tem aplicabilidade técnica e gera alto custo para os condutores. Em reunião com o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Estado da Bahia (Sttroba), o diretor-geral do órgão, Lúcio Gomes, disse que o próximo passo é a liberação das habilitações da Bahia, que estão bloqueadas no sistema do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

“A liminar é importante porque tranquiliza os motoristas, que estavam sendo prejudicados no trabalho. Agora, o Denatran está obrigado a desbloquear quase sete mil carteiras dos processos que exigiam o exame toxicológico”, informou o diretor do Departamento Estadual de Trânsito. Para o presidente do sindicato, Hélio Ferreira, “a resolução causou muitos prejuízos aos rodoviários, que estavam impedidos de exercer a profissão. Demos apoio ao Detran [na ação judicial] e torcemos para que as habilitações sejam logo liberadas no sistema nacional. Foi uma vitória do órgão e dos trabalhadores”, afirmou.

Notícias Relacionadas