Dilma diz que governo trabalha “diuturnamente” para reverter situação das contas

Ana Cristina Campos e Sayonara Moreno
Repórteres da Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff reiterou hoje (6) que a situação das contas públicas no país é “difícil”, mas que o governo está trabalhando para superá-la sem comprometer projetos importantes para a retomada do desenvolvimento.

Ela agradeceu os manifestantes que estavam na parte de fora do navio sob forte chuva e seguravam cartazes (Foto: Ag. Brasil)
Ela agradeceu os manifestantes que estavam na parte de fora do navio sob forte chuva e seguravam cartazes (Foto: Ag. Brasil)

“O cenário fiscal que enfrentamos é difícil. Estamos trabalhando diuturnamente para superá-lo, mas devemos superá-lo sem sacrificar projetos que são fundamentais para a retomada do desenvolvimento e para o futuro do Brasil. Esse é o caso dos projetos estratégicos das Forças Armadas, afinal o Brasil é um país de dimensões continentais e riquezas extraordinárias, cuja defesa precisa ser aprimorada continuamente”, afirmou, durante a apresentação do Navio Doca Multipropósito Bahia, em Salvador.

Ela agradeceu os manifestantes que estavam na parte de fora do navio sob forte chuva e seguravam cartazes de “Não vai ter golpe”. “Queria agradecer a todos os manifestantes que se colocam debaixo de chuva defendendo a nossa democracia e a institucionalidade do nosso país”, disse Dilma, em referência ao processo de impeachment que enfrenta na Câmara dos Deputados.

Participaram da cerimônia os ministros da Defesa, Aldo Rebelo, do Gabinete Pessoal da Presidência, Jaques Wagner, e da Secretaria de Portos, Helder Barbalho, que é um dos seis ministros do PMDB que permanecem no governo após a saída do partido da base aliada na semana passada.

Navio Doca

Presente na cerimônia, o governador da Bahia, Rui Costa, destacou a aquisição do navio como um “passo para o fortalecimento das Forças Armadas e da defesa das riquezas do país”. Depois disso, o governador saudou as pessoas que estavam na rua, em frente ao terminal marítimo, em apoio a Dilma.

“Peço licença para saudar aos que estão lá fora, sob a chuva, que pedem o direito à Constituição, defendem a legalidade. São cidadãos que querem respeito ao voto que deram e, se alguém deseja chegar à presidência, que se candidate e ofereça propostas ao povo brasileiro”, disse Rui Costa.

A embarcação foi transferida para a Marinha brasileira após um acordo de compra com a França, por cerca de R$ 300 milhões. O navio fazia parte da Marinha francesa desde 1998 e agora fica com a força naval brasileira, por ter capacidade para operar em áreas oceânicas e proteger plataformas marítimas de petróleo, além de defender o território marítimo brasileiro.

Projetado para transportar veículos, tropas, helicópteros e munição, o Bahia tem 168 metros de comprimento, 22 de largura e capacidade para 12 mil toneladas. Além disso, tem um hospital médico-odontológico de 500 metros quadrados, com 49 leitos, unidades de tratamento para pacientes em estado crítico de saúde e queimados, centros cirúrgicos, laboratório, espaço para exames radiológicos, esterilização de materiais e consultórios clínicos e odontológicos.

Participaram da cerimônia, o ministro da Defesa, Aldo Rebelo, o ministro do Gabinete Pessoal da Presidência, Jaques Wagner, o ministro da Secretaria de Portos, Helder Barbalho, o embaixador da França no Brasil, Laurent Bili, além de autoridades, políticos e oficiais da Marinha brasileira. Depois do ato, Dilma visitou o terminal marítimo de passageiros do porto da capital baiana, que passa por um processo de licitação para arrendamento.

Notícias Relacionadas