Dilma cria cargos e chega a 100 mil comissionados

Com orçamento de quase R$10 bilhões, não faltou dinheiro ao DNIT para criar, do nada, 475 funções de confiança em 2015.
Com orçamento de quase R$10 bilhões, não faltou dinheiro ao DNIT para criar, do nada, 475 funções de confiança em 2015.

CLÁUDIO HUMBERTO

Anunciado como grande “corte na carne” do governo para se enquadrar à grave crise econômica, não passou de lorota a redução de cargos e funções comissionadas alardeada pela presidente Dilma e seus ministros. Pelo contrário, o número de cargos, funções de confiança e gratificações do governo federal aumentou entre 2014 e 2015, chegando a 99.995, segundo o próprio Boletim Estatístico do governo.

‘CUMPANHÊRADA’
Com orçamento de quase R$10 bilhões, não faltou dinheiro ao DNIT para criar, do nada, 475 funções de confiança em 2015.

ANDOU PARA TRÁS
Enquanto cortou 1,1 mil cargos de Direção e Assessoramento Superior (DAS), Dilma criou 2 mil funções comissionadas no ano passado.

Os 100 mil cargos estão divididos em 47 siglas e abreviações das mais variadas espalhadas por Abin, AGU, ANAC, Presidência entre outros.

MEIRELLES COM MICHEL
O ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles, filiado ao PMDB, lidera dez entre dez listas de prováveis futuros ministros. Rejeitado por Dilma, que não o suporta, ele tem Michel Temer entre os admiradores.

RAINHA ELIZABETH
O ex-presidente Lula e o ministro Ricardo Berzoini (Governo) atuam na linha de frente do “toma lá, dá cá” para tentar barrar o impeachment de Dilma. A presidente nem sequer toma conhecimento das negociações.

ARTICULADOR NA ATIVA
Lula se reuniu dias atrás com os seis ministros do PMDB estimulando-os a afrontar a decisão do partido de romper com o governo. Prometeu que ficarão Kátia Abreu (Agricultura) e Helder Barbalho (Portos). (Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais)

Notícias Relacionadas