Acordão quer livrar políticos, como Lula, da mira de Moro

CLÁUDIO HUMBERTO

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de blindar Lula do rigoroso juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, criou o precedente que o governo queria. O Palácio do Planalto trabalha há semanas em um “acordão” com setores da Justiça, para que políticos sem mandato (e sem foro privilegiado), como o ex-presidente, flagrados na gatunagem da Petrobras, sejam julgados no STF e não por Moro.

STF abriu precedente para livrar políticos sem mandato de Moro. (Foto: EBC)
STF abriu precedente para livrar políticos sem mandato de Moro. (Foto: EBC)
‘Conciliação’, o pretexto
Ministros do PT juram que o objetivo do acordão não seria livrar os políticos de condenações, mas abrir caminho à “conciliação nacional”.

Motivo real do conchavo
Como Lula, vários ex-deputados e ex-ministros, atualmente sem foro privilegiado, têm medo de ser julgados pelo juiz Sérgio Moro.

Mão pesada de Moro
Como Lula, o Planalto acha que o juiz federal criminal Sergio Moro, ao contrário dos ministros do STF, condena à prisão sem hesitações.

Ministro Fux avisou
O risco de precedente, pelo qual o Planalto se empenhava, aberto ontem com a blindagem de Lula, foi citado no voto do ministro Luiz Fux. (Coluna de Cláudio Humberto)

Notícias Relacionadas