Bridgestone quer investir R$ 262 mi para ampliar produção em Camaçari

Fábio Marcel Fossen, diretor da Brigstone, assina lo protocolo de ingtenções para ampliação da unidade de Camaçari.
Fábio Marcel Fossen, diretor da Bridgestone, assina lo protocolo de ingtenções para ampliação da unidade de Camaçari.

A Bridgestone, uma das maiores fabricantes de pneus do mundo, está planejando investir R$ 262 milhões na unidade de Camaçari, na Bahia, sendo R$ 252 milhões no incremento da produção de mais 2,5 mil unidades por dia, e R$ 10 milhões na construção de um Centro de Distribuição. Atualmente a fábrica produz oito mil pneus diariamente. As negociações já estão em andamento, a partir da assinatura um do protocolo de intenções, pelo governador Rui Costa e pelo diretor-presidente da indústria, Fábio Marcel Fossen, nesta sexta-feira (26), na sala de reuniões da Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB).

Segundo o governador, nesse momento difícil, a Bahia tem que comemorar o investimento e os 270 postos de trabalho, que se somarão aos 560 já existentes na unidade de Camaçari, implantada em 2007. Rui ainda afirmou que o Estado está investindo também na área portuária em Salvador, e procurando investimentos para o Porto de Aratu.

Confiança na Bahia – Para o presidente da Bridgestone, a Bahia é estratégica para o crescimento da empresa. “Nós temos uma série de trabalhos desenvolvidos com o Estado, temos a proximidade do porto, que facilita a exportação e temos os índices de produtividade que atingimos com a fábrica em Camaçari. Tanto o apoio das autoridades quanto a produtividade são munições quando eu vou aos Estados Unidos ou ao Japão para buscar investimentos. Quando faço isso, estou disputando com outros 12 presidentes de unidades de outros países, e essa é a munição que eu tenho para trazer estes investimentos para a Bahia”.

Segundo Fossen, a unidade de Camaçari está caminhando para se tornar uma das mais produtivas da América Latina. “Nós somos a fábrica mais moderna, recebemos os investimentos mais recentes, tanto para o mercado local quanto para a exportação. Estamos aumentando a exportação para os EUA, para isso estamos ampliando a fábrica e introduzindo tecnologia nova. Quando o país voltar a crescer, e deve voltar a crescer nos próximos anos, a economia começa a crescer e vai precisar de pneus”.

Notícias Relacionadas