PMDB do Rio ameaça fazer oposição a Temer

CLÁUDIO HUMBERTO

A ameaça do PMDB-RJ  a Temer é atribuída ao ex-governador Sergio Cabral
A ameaça do PMDB-RJ a Temer é atribuída ao ex-governador Sergio Cabral
A vitória do líder do PMDB, Leonardo Picciani, subiu à cabeça dos Caciques do PMDB do Rio de Janeiro. Eles exigem que Michel Temer desautorize, sem demora, o movimento que vai levar a convenção do partido, em 12 de março, a decidir pelo rompimento com o governo Dilma Rousseff. A ameaça é clara: se Temer não sufocar o movimento, o PMDB-RJ lançará contra ele um candidato à presidência do partido.

CABRAL POR TRÁS
A ameaça do PMDB-RJ é atribuída ao ex-governador Sergio Cabral, cujo estilo truculento é reconhecido à distância pela direção nacional.

CUNHA POR TRÁS
A campanha para o PMDB romper com o governo Dilma vem sendo liderada pelo grupo do presidente da Câmara, Eduardo Cunha.

FIDELIDADE CANINA
O PMDB-RJ é o único diretório estadual controlado por dilmistas: o governador Luiz Pezão, o prefeito Eduardo Paes e o clã Picciani.

LULA DEFINHA
O ministro Jaques Wagner (Casa Civil), que não acredita em recuperação do governo Dilma, está mais empenhado na defesa de Lula. Para ele, a queda do ex-presidente representaria o fim do PT.

JOIA RARA
Servidores do Planalto estranham o gosto repentino de Dilma por joias caras. Os mais céticos dizem que a petista foi aconselhada a não comprar imóveis, mas joias, “para chamar menos atenção”.

DESCOBRIRAM A PÓLVORA
A imprensa brasileira descobriu somente agora o drama que os leitores desta coluna acompanham há pelo menos quinze anos: o relacionamento da jornalista Mírian Dutra com o ex-presidente FHC.

ALTERNATIVA
O senador Cristovam Buarque (DF), que trocou o PDT pelo PPS, não deseja disputar a presidência da República. Mas seu novo partido sonha vê-lo candidato a vice, na chapa da oposição.

SEM PARTIDO
O senador Antônio Reguffe (DF), que se livrou do PDT, resolveu ficar um ano sem partido. Ele anda desiludido com todos os que existem hoje e não tem pressa para escolher a nova casa.

O DESTINO DE FERRAÇO
Ricardo Ferraço (ES), que saiu do PMDB inconformado com o apoio do partido ao governo Dilma, flerta com a oposição. PSDB e PPS disputam o passe do senador. Os tucanos têm mais chances.

GOVERNISMO RADICAL
Ciro Nogueira (PB) atuou para impedir a vitória de Esperidião Amin (SC) na disputa pela liderança do PP. O senador define como questão de honra eleger, quarta (24), um líder alinhado ao governo.

ESPELHO MEU
Os leitores desta coluna sabem desde 4 de fevereiro que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, aumentaria a tunga no nosso bolso, reajustando a Cota Parlamentar. Lá se vão mais R$ 2,3 milhões.

PENSANDO BEM…
…também vítima de relacionamento em que só levou a pior, a jornalista Mírian Dutra agora teve seu dia de Mírian Cordeiro. (Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais).

Notícias Relacionadas