Microcefalia: saúde não explica 91% dos casos.

Ministério da Saúde ainda não encontrou explicação para 421 dos 462 casos de malformação de bebês.
Ministério da Saúde ainda não encontrou explicação para 421 dos 462 casos de malformação de bebês.
Enquanto luta para desqualificar médicos argentinos, que apontam o larvicida pyriproxyfen como a provável causa de microcefalia no Brasil, o Ministério da Saúde ainda não encontrou explicação para 421 dos 462 casos de malformação de bebês. Isto é, não sabe explicar a causa de 91% dos casos confirmados de microcefalia no País. Só 41 casos têm relação com o zika, segundo o último informe epidemiológico.

GOVERNO LOVES ZIKA
É estranha a aposta do Ministério da Saúde no zika como causa da microcefalia, ainda que admita comprovação em apenas 9% dos casos.

PODE SER TUDO
Sem saber a causa de 91% dos casos de microcefalia, o ministério lista outras possibilidades: sífilis, rubéola, toxoplasmose, citomegalovírus…

É O PYRIPROXYFEN
Médicos gaúchos se associam à convicção dos colegas argentinos sobre o uso do pyriproxyfen como a provável causa de microcefalia.

OPÇÃO PREFERENCIAL
Em nota, o governo faz sua opção preferencial pelo zika vírus e ataca a suspeita da droga pyriproxyfen como a provável causa de microcefalia. (Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais).

Notícias Relacionadas