São Paulo bate o César Vallejo e avança para a fase de grupos

Atacante precisou de apenas dois minutos para marcar o gol que garantiu o Tricolor na fase de grupos da Libertadores (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)
Atacante precisou de apenas dois minutos para marcar o gol que garantiu o Tricolor na fase de grupos da Libertadores (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)

Com grande público no Pacaembu e o protagonismo do atacante Rogério, o São Paulo  eliminou o César Vallejo-PER e avançou para a fase de grupos da Libertadores da América de 2016. O camisa 17, que inicialmente não estava nem relacionado para o decisivo jogo de volta válido pela primeira fase, precisou de apenas dois minutos em campo para balançar as redes – assim como fez quando marcou o gol da vitória sobre o Goiás (1 x 0) e garantiu o clube no torneio continental, na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2015 – e anotar o gol que deu o triunfo ao São Paulo por 1 a 0 na noite desta quarta-feira (10).

Com o empate no duelo de ida por 1 a 1, no Peru, e a vitória no Estádio Paulo Machado de Carvalho, o Tricolor eliminou o adversário no placar agregado e agora integrará o Grupo 1, que já conta com River Plate (Argentina), The Strongest (Bolívia) e Trujillanos (Venezuela). E o próximo compromisso do time na Libertadores já tem data marcada: na próxima quarta-feira (17), novamente no Pacaembu, o São Paulo enfrentará o The Strongest na rodada de abertura da chave. Antes de medir forças contra os bolivianos, porém, a equipe terá o clássico com o Corinthians no final de semana, pelo Campeonato Paulista.

Com uma amigdalite, o centroavante Alan Kardec desfalcou o time são-paulino de última hora, foi cortado e abriu espaço para Rogério no banco de reservas. Dessa forma, Patón apostou na entrada do argentino Calleri, e escalou a equipe com Denis; Bruno, Rodrigo Caio, Lucão e Mena; Hudson, Thiago Mendes e Paulo Henrique Ganso; Michel Bastos, Centurión e Calleri. Assim como o camisa 14, Breno (tendinite no joelho direito), Diego Lugano (aprimora a forma física), Daniel (contratura na coxa esquerda) e João Paulo (fratura por estresse na perna direita) também desfalcaram o Tricolor.

Já o treinador Franco Navarro, do clube peruano, definiu a escalação do César Vallejo com Libman; Hernandez, Cardoza, Riojas e Guizasola; Ciucci, Quinteros, Montes, Millan e Hohberg; Morales. Quando a partida começou, os brasileiros trataram de tocar a bola e buscar os espaços, enquanto os visitantes ficavam mais tempo no campo de defesa e esperavam o ataque do Tricolor com o intuito de explorar os contragolpes.

O primeiro tempo foi marcado pelo excessivo número de faltas e, apesar disso, pela superioridade do São Paulo. Apesar de ter dificuldades para criar as jogadas, os mandantes ainda levaram perigo e assustaram os peruanos. Aos 22 minutos, Calleri avançou bem pela esquerda e cruzou para Centurión. Pela direita, ele driblou um adversário e finalizou de esquerda. A bola, porém, passou rente ao gol.

Sufoco – O lance dos argentinos fez o time são-paulino crescer no confronto e incendiar os torcedores nas arquibancadas. Em busca do gol, apesar de poder atuar pelo empate sem gols para seguir no torneio, os mandantes acuaram o César Vallejo e finalizou quatro vezes em um curto espaço de tempo: Centurión, Calleri e Ganso arriscaram, mas não conseguiram balançar as redes. Na última tentativa de tirar o zero do placar antes do intervalo, com 66% de posse de bola, os comandados de Bauza ficaram no quase aos 40 minutos. Ganso enfiou bom passe para Michel Bastos. O meia deu ótimo toque para Thiago Mendes, que bateu por cima depois de a bola pingar.

Na volta para a segunda etapa, em busca do gol que poderia garantir a classificação para a fase de grupos sem sustos, o Tricolor logo partiu para cima dos peruanos e teve uma grande oportunidade para balançar as redes. Aos cinco minutos, Bruno lançou, e Ganso caiu após disputa de bola com Riojas. O meia derrubado dentro da área e o árbitro marcou pênalti. Michel Bastos cobrou, aos seis, mas a bola bateu na trave do goleiro Libman.

Apesar de desperdiçar a oportunidade, a equipe são-paulina seguiu em cima e acuando o rival, que mantinha a postura de tentar surpreender nos contragolpes ou nas bolas paradas. Aos 17 minutos, Michel Bastos carimbou a barreira em cobrança de falta. No rebote, Ganso tentou o chute e a bola sobrou com Centurión, que bateu com perigo. Para tentar dar fôlego novo ao time, Patón apostou na entrada do versátil Wesley na vaga de Centurión aos 21. Pouco depois, aos 30, o treinador trocou Mena por Carlinhos.

As mudanças do comandantes logo surtiram efeito, e o São Paulo levantou novamente a torcida no Estádio Paulo Machado de Carvalho. Aos 32, Thiago Mendes finalizou forte de fora da área e o goleiro Libman espalmou para o centro da área, mas conseguiu afastar o perigo. Três minutos depois, Calleri recebeu cruzamento do lado direito e finalizou no travessão do arqueiro adversário. No minuto seguinte, sem deixar o ritmo cair, o Tricolor teve outra boa chance: Carlinhos cruzou, Wesley ajeitou e Hudson soltou a bomba de fora da área, mas a bola novamente insistiu em bater na trave.

Para manter o ímpeto ofensivo e não deixar o César Vallejo respirar, Bauza apostou na entrada do predestinado Rogério aos 40 minutos, e mais uma vez o atacante mostrou que tem estrela. Com apenas dois minutos em campo, o camisa 17 fez o torcedor são-paulino explodir de alegria nas arquibancadas e festejar a classificação. Após cruzamento de Carlinhos, pela esquerda, Rodrigo Caio cabeceou e a bola sobrou para Rogério, que finalizou para o fundo do gol: 1 a 0, muita comemoração, linda festa no Pacaembu e vaga assegurada.

Notícias Relacionadas