Unidos de Vila Isabel termina desfile no Rio sob aplausos de ‘é campeã’

Cristina Indio do Brasil
Repórter da Agência Brasil

A Unidos de Vila Isabel concluiu o desfile aos gritos de ‘é campeã’, do público que lotava as arquibancadas populares da Praça da Apoteose, no Sambódromo da Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro.

Primeira escola do segundo dia de desfile na Marquês de Sapucaí, Vila Isabel faz homenagem a Miguel Arraes, ex-governador de Pernambuco (Foto:Tomaz Silva/Agência Brasil)
Primeira escola do segundo dia de desfile na Marquês de Sapucaí, Vila Isabel faz homenagem a Miguel Arraes, ex-governador de Pernambuco (Foto:Tomaz Silva/Agência Brasil)

O samba-enredo em homenagem ao centenário de Miguel Arraes levantou os ocupantes da avenida, que acompanhavam o desempenho da escola. Faltando dois setores para o fim da pista de desfile, o intérprete do samba-enredo da Vila Isabel parou de cantar e pediu para o público entoar o samba, e a reposta veio de imediato, com um canto forte.

O compositor Martinho da Vila, que além de ter proposto o enredo é um dos autores do samba, acompanhou emocionado a chegada das alas e das alegorias na dispersão da escola. “É uma emoção muito grande. Dá uma sensação de missão cumprida. Foi uma beleza”, disse.

Bira do Banjo, que há 20 anos pertence à ala de compositores da Vila Isabel, não aguentou e caiu em prantos no fim do desfile “Eu sou nascido na Vila Isabel. A gente passa por uma série de problemas e a Vila está aí, e quem é sabe! Então, ver a escola passar assim é empolgante. Como compositor eu tenho uma história, e quando você vê os amigos, todo mundo unido, desculpe, a gente chora”, contou.

Bira disse que quando entrou para a Vila era empurrador de carros, depois passou para a bateria e harmonia da escola.

Também sem conter a emoção estava o presidente da escola, Luciano Ferreira, que explicou o motivo do envolvimento dos componentes da escola, que contribuiu para o desfile. “Eu tenho uma caminhada aguerrida, só isso que posso dizer”, completou, chorando.

O presidente disse ainda que o enredo se encaixou bem no estilo da escola. “Tinha tudo a ver com o momento da escola, a comunidade abraçou o enredo. Os componentes nos nossos ensaios mostravam a cada dia um canto melhor. Eu acreditei neles e vou sempre acreditar na minha comunidade”, concluiu.

Notícias Relacionadas