Bloco Filhos de Gandhy pede a associados que evitem beijo forçado

O tema da entidade este ano é "Ewé Oró": a comunicação entre o sagrado e o axé (Foto: Gilmar Castro/Agecom)
O tema da entidade este ano é “Ewé Oró”: a comunicação entre o sagrado e o axé (Foto: Gilmar Castro/Agecom)

Os Filhos de Gandhy  transformaram hoje o Circuito Dodô (Barra-Ondina) em um imenso tapete branco. Antes de sair, o presidente do afoxé, Francisco Lima, pregou a paz e o respeito às mulheres, pedindo aos associados que evitem beijos forçados e que não coloquem mulheres dentro do bloco.

O ator Lázaro Ramos participou do desfile do Gandhy (Foto:
O ator Lázaro Ramos participou do desfile do Gandhy nesta segunda-feira (Foto: Bruno Concha/Agecom)

Um dos diretores do bloco, João Paulo, que já desfila há 21 anos, ressaltou que a troca de colares por beijo não é uma cultura pregada pelo afoxé.

“Essa cultura foi implantada há pouco tempo. O Gandhy não foi criado com esse intuito. Na verdade, o associado tem um carinho especial pela mulher, até porque elas nos dão um suporte antes durante e depois. Elas que confeccionam nossos turbantes, elas que nos arruma para o carnaval. A mulher acompanha o companheiro ao lado da corda. Acho que a partir daí surgiu essa cultura de oferecer o colar por um beijo, mas não foi algo criado pelo Gandhy”, disse.

O tema da entidade este ano é “Ewé Oró”: a comunicação entre o sagrado e o axé. Caracterizado de Gandhy, o ator Lázaro Ramos acompanha o bloco ao lado do filho, que também veste a indumentária. Lázaro disse estar emocionado por participar e entoou o “Ajayô”, saudando os associados.

Notícias Relacionadas