Hemoba convoca doadores de sangue durante o Carnaval

Para garantir o abastecimento de sangue também durante o Carnaval, a Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Estado da Bahia (Hemoba), vinculada à Secretaria da Saúde (Sesab), estará à disposição dos doadores em quase todos os dias da folia. A campanha da Hemoba neste ano tem como slogan ‘O Carnaval está em nossa veia’.

As 24 unidades hemoterápicas de coleta e processamento de sangue da rede da Hemoba, entre Hemocentros e Unidades de Coleta e Transfusão (UCT), funcionam na quinta (4), sexta (5), segunda (8) e terça-feira (9) de Carnaval. No sábado (6), apenas a unidade central, localizada na Avenida Vasco da Gama, em Salvador, estará aberta.

O empresário Enock Costa é outro doador que faz a diferença na Hemoba pelo comprometimento que tem em doar sangue a cada três meses (Foto: Pedro Moraes/GOVBA)
O empresário Enock Costa é outro doador que faz a diferença na Hemoba pelo comprometimento que tem em doar sangue a cada três meses (Foto: Pedro Moraes/GOVBA)

No domingo (7), a unidade central e as UCT ficam fechadas. Na Quarta-feira de Cinzas (10), a partir do meio-dia, o atendimento volta ao normal em todas as unidades espalhadas pelo estado. Para saber onde fica a unidade da Hemoba mais próxima, o doador pode acessar o site da Sesab.

Médica da diretoria de hemotrerapia da Hemoba, Daisy Gomes explica que basta seguir alguns critérios simples para ser doador. “É preciso ter mais de 50 quilos, ter entre 18 e 69 anos, não deve estar em jejum, mas deve-se evitar comidas gordurosas, como sarapatel e feijoada, porque alteram o resultado dos exames. Também não pode ter ficado gripado nos últimos sete dias anteriores à doação, além de não ter fumado ou consumido bebidas alcoólicas durante algum tempo”.

Doadores regulares

Estima-se que apenas 2% da população fazem doação de sangue regularmente, conforme dados do Ministério da Saúde. Mas a recomendação da Organização Mundial de Saúde é de que o percentual seja de 5%. Para tentar mudar esta realidade, a unidade central da Hemoba, na capital, conta com alguns doadores regulares. Um deles é o professor de inglês Raul Dócio, 22 anos.

Morador do bairro de São Rafael, na capital, Raul tem consciência da importância de ajudar ao próximo. “Sempre que possível, venho doar. [Doar antes e durante o Carnaval] é importante porque [neste período] aumenta [o número de] acidentes. Muitos inocentes estão envolvidos nestas ocasiões. Me preocupo, particularmente, com estes acidentes nas estradas”.

O empresário Enock Costa, 43, morador do bairro de Itinga, no município de Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), é outro doador que faz a diferença na Hemoba pelo comprometimento que tem em doar sangue a cada três meses (intervalo mínimo para doadores do sexo masculino).

“A gente um dia pode precisar. Principalmente nesta época, existem muitos acidentes. Precisamos ter a consciência de que é extremamente importante a gente doar sangue. O meu tipo sanguíneo (e fator RH) é o O positivo. É importante vir outras pessoas com outros tipos de sangue”, afirma o empresário.

Aumento da demanda

O diretor da Hemoba, Marinho Marques da Silva Neto, reitera que há um aumento da demanda de sangue durante as festas populares. Por esta razão, a instituição reforça a mobilização na capital e no interior. “A Hemoba atende a todo o estado da Bahia. Com isso, nossa necessidade é grande. Por outro lado, neste período, diminuem as doações porque as pessoas viajam, estão de férias. Também temos um aumento no número de inaptidão clínica [quando o sangue fica inadequado para ser doado]. Então, esta mobilização é muito necessário porque, com apenas uma doação, podemos salvar até quatro vidas”. Confira mais informações sobre a folia no site Carnaval da Bahia.

Notícias Relacionadas