Governo russo pede ajuda para localizar responsáveis pela queda do A321

Da Agência Sputinik

O Ministério de Relações Exteriores da Rússia informou hoje (17) que o governo russo pediu a todos países e organizações que ajudem a localizar os terroristas envolvidos na explosão do avião A312 no Egito.

O avião Airbus A312 russo explodiu quando voava da cidade de Sharm el-Sheikh, no Egito, para São Petersburg (Foto: Maxim Grigoryev/Agência Sputinik)
O avião Airbus A312 russo explodiu quando voava da cidade de Sharm el-Sheikh, no Egito, para São Petersburg (Foto: Maxim Grigoryev/Agência Sputinik)

De acordo com comunicado do ministério, a Rússia “apela a todos países, organizações e indivíduos, todos amigos e parceiros, por assistência neste trabalho (a procura por terroristas), para garantir que os responsáveis sejam levados à Justiça”.

O ministério informou ainda que o país também iniciou sua própria operação em busca de suspeitos e cúmplices. “O Ministério de Relações Exteriores russo, de acordo com instrução do presidente Vladimir Putin, notifica todos os parceiros estrangeiros que as autoridades competentes da Rússia iniciaram a busca pelos criminosos”, acrescentou o texto.

A busca continuará até que os envolvidos no crime sejam identificados, encontrados e levados à Justiça, “onde quer que estejam”. Os trabalhos serão realizados conforme o artigo 51 da Carta da ONU, que trata do direito de países-membros à autodefesa em caso de ataque armado.

O ministério também pediu ao Conselho de Segurança da ONU que finalize demora o esboço de resolução enviado pela Rússia no dia 30 de setembro. O texto tem como objetivo formar uma ampla coalizão internacional contra o terrorismo.

Um avião Airbus A312 russo explodiu quando voava da cidade de Sharm el-Sheikh, no Egito, rumo a São Petersburgo no dia 31 de outubro. Não houve sobreviventes. Nesta terça-feira, a Rússia oficialmente concluiu que o acidente foi um ato terrorista.

Notícias Relacionadas