Preço do carro zero-quilômetro sobe mais que a inflação em 2014

De acordo com os dados apurados pelo Índice WebMotors, houve um aumento médio de 3,32% nos preços dos veículos novos, entre janeiro e abril de 2014. Os dados mostram que o valor do carro zero subiu 0,46 p.p. acima da inflação do período, que ficou em 2,86%, segundo o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). O levantamento do WebMotors – site brasileiro especializado no setor automotivo, líder no segmento e referência em classificados de veículos online – utilizou como base os 44 modelos mais vendidos no primeiro quadrimestre, conforme divulgado pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), e os anúncios do portal.

Dentre os modelos que obtiveram as maiores valorizações está o Toyota Corolla XEi 2.0 16V, equipado com câmbio automático. O preço do sedã médio aumentou 17,8%, saltando de R$ 71.587,00, em janeiro, para R$ 84.313,00, em abril. Tal discrepância explica-se, em parte, pelo lançamento da nova geração do modelo no Brasil, em março, possibilitando que lojistas e concessionárias praticassem preços mais competitivos, para reduzirem ao máximo os estoques do antigo.

Também apresentaram variação acima da média o Ford New Fiesta S 1.5 16V, câmbio manual, com reajuste de 12,2%, passando de R$ 36.598,00 para R$ 41.077,00; e o Peugeot 308 Allure 2.0 16V automático, que sofreu um incremento de 8,2%, de R$ 59.779,00 para R$ 64.662,00.

A Toyota também encabeça a outra ponta do levantamento. O Etios, nas versões sedã 1.5 XLS e hatch 1.3 X, ambas com câmbio manual, é uma ótima oportunidade de negócio. Os dois modelos obtiveram retração de 4,3%. Igualmente, o Ford Focus 1.6 S hatch e manual ficou mais em conta no quadrimestre, com redução na casa dos 3,5%.

Dentre as marcas, a Nissan se destacou, com a maioria de seus modelos assumindo valores mais vantajosos em abril, comparado a janeiro. O March 1.0 S e o Livina 1.8 X-Gear automático apresentaram queda de 1,4%. Já o Versa SL 1.6 16V manual e o Sentra SV 2.0 16V automático registraram baixa de 2% e 0,3%, respectivamente.

Notícias Relacionadas