Corpo de torcedor morto atingido por uma privada é velado no Recife

/JC Online/Reprodução)
O corpo de Paulo Ricardo Silva é velado no Cemitério de Santo Amaro, no Recife. (Foto: Felipe Lima/JC Online/Reprodução)
Recife (Jornal do Comércio) – O corpo de Paulo Ricardo Silva, torcedor do Sport morto na última sexta-feira (1º), está sendo velado na manhã deste domingo (4), na capela do Cemitério de Santo Amaro, Centro do Recife. O enterro será às 14h. Ele foi atingido por um vaso sanitário, atirado do estádio do Arruda, após o jogo entre Santa Cruz e Paraná. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) decidiu interditar preventivamente o estádio. A medida é válida até que o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) analise o caso e tome as providências.

O corpo chegou à capela na noite deste sábado (03). A mãe da vítima, Joelma Valdevino, usa uma jaqueta do Estaleiro Atlântico Sul, onde Paulo Ricardo trabalhava, e abraçada a uma camisa do Sport, culpa o clube pela falta de segurança e a polícia de Pernambuco pelo clima de insegurança nos estádios. Familiares reclamam que nenhum dirigente do Santa Cruz procurou a família para prestar solidariedade.

No velório, a noiva do jovem, Amanda França, falou à Rádio Jornal sobre a paixão dele pelo futebol. “Ele sempre foi muito apaixonado por tudo relacionado ao Sport, gostava de tirar foto para postar em blog, em redes sociais, mas não temos conhecimento de que ele tinha relação com outras torcidas”, contou.

Maurício de Oliveira, padrasto do torcedor, afirma que a família vai entrar com uma ação judicial contra o Santa Cruz.”O presidente do Santa Cruz abre a boca para dizer que não tinha culpa. E a segurança patrimonial? Para ele, a vida segue normalmente…”, diz, revoltado. “Não foi uma vida destruída, foi uma família destruída”, completa o tio do rapaz, Laércio Gomes da Silva. (Jornal do Comércio, Recife)

Notícias Relacionadas