Assassinato de torcedor do Vitória foi motivado por dívida, segundo a polícia.

Assiel (esquerda) e Daniel foram apresentados pela polícia nesta quarta-feira (Foto: SSP/Divulgação)
Assiel (esquerda) e Daniel foram apresentados pela polícia nesta quarta-feira (Foto: SSP/Divulgação)
Salvador – Uma dívida em dinheiro, que até poderia ser paga em suplementos nutricionais, motivou o assassinato de Lucas dos Santos Lima, o “Chapolim”, 35 anos, puxador da torcida organizada do Vitória, “Os Imbatíveis”, morto com quatro tiros por Jonas de Sousa Santos, 23. Dois amigos do homicida, também envolvidos no crime, foram presos na terça-feira (29), por investigadores do Grupo de Apreensão e Captura (Grac) do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Assiel de Jesus Ramos, 21, e Daniel Jesus de Souza, 20, foram apresentados à imprensa, nesta quarta-feira (30), pela titular da 3ª Delegacia de Homicídios (Baía de Todos os Santos) delegada Klaudine Passos, que revelou a motivação do homicídio. Com mandado de prisão temporária expedido pelo Plantão Judiciário, Assiel foi localizado na Ladeira do Jacaré, na Baixa de Quintas, enquanto Daniel foi preso na Ladeira do Salete, nos Barris.

De acordo com a delegada, o crime ocorrido na tarde de sexta-feira (25), dentro da loja de suplementos nutricionais, nos Barris, da qual a vítima era sócio com um irmão, foi por vingança. Jonas teria ido cobrar uma dívida a Chapolim, que o maltratou. Revoltado, ele o assassinou, com quatro tiros na cabeça.

No dia do homicídio, o trio (Jonas, Assiel e Daniel) chegou ao endereço da vítima, a bordo de um Pálio cinza, placa NIM-6663, locado na véspera por Assiel, que o pilotava. Assiel e Jonas se encontraram com Daniel na Estação da Lapa e se dirigiram para os Barris. A rua General Labatut estava engarrafada e eles reduziram a velocidade do carro, para conferir se Chapolim estava na loja.

Jonas em fotos postados em sua página no Facebook: ele é acusado de atirar em Chapolin e está foragido da polícia (Foto: Facebook)
Jonas em fotos postados em sua página no Facebook: ele é acusado de atirar em Chapolin e está foragido da polícia
(Foto: Facebook)

Depois do delito, o trio saiu no carro e, por estar o local com trânsito congestionado e temendo ser abordado pela polícia, por portar um revólver calibre 38, usado no cometimento do crime, Jonas desceu do Pálio e foi se reencontrar com os comparsas mais adiante.

Assiel e Daniel seguirão para o sistema prisional, enquanto Jonas está sendo procurado pela polícia, que solicita a ajuda da população na sua captura. Quem tiver alguma informação sobre o paradeiro do criminoso, poderá entrar em contato pelo Disque Denúncia, através do número 3235-0000, sem que precise se identificar.

Notícias Relacionadas